Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Confrontos no Iraque deixam pelo menos 110 mortos


Do Diário OnLine
Com AFP

12/09/2004 | 22:05


Pelo menos 110 pessoas morreram neste domingo em mais um dia de violência no Iraque. As mortes aconteceram em diversos atentados e nos confrontos entre a guerrilha iraquiana e o exército americano.

De acordo com informações do Ministério da Saúde do Iraque, 51 mortes foram registradas em Tal Afar, perto da fronteira com a Síria, e outras 37 em Bagdá. Os outros ataques aconteceram em outras localidades.

O primeiro ministro Iyad Allawi informou que o número de mortos em atentados no Iraque depois da queda de Saddam Hussein, em abril de 2003, passou de 3 mil. Mais de 12 mil pessoas ficaram feridas nos ataques.

Mortes- O domingo sangrento no Iraque começou com a morte de treze pessoas, entre elas dois menores, durante três horas de combates e ataques de helicópteros americanos em pleno centro de Bagdá. Pelo menos 55 iraquianos e quatro americanos ficaram feridos.

Um porta-voz militar americano informou que um tanque foi atingido pela explosão de um carro-bomba, tendo sido destruído por pelas próprias forças americanas de apoio aéreo "para impedir que fosse depenado".

Pouco depois, dezenas de pessoas se reuniram em torno do tanque em chamas para comemorar. Dois helicópteros lançaram então mísseis em direção do Bradley, causando pelo menos cinco mortes — entre as vítimas fatais está um jornalista que fazia uma reportagem no local.

Poloneses- Três soldados poloneses morreram e outros três ficaram feridos num ataque perto de Hilla (100 km ao sul de Bagdá), de acordo com o porta-voz do Estado-Maior polonês, coronel Zbigniew Gnatowski.

"Os três feridos foram transferidos a um hospital de Kerbala. Suas vidas não correm perigo", destacou Gnatowski. Também foram registrados combates em Ramadi, a 100 km a oeste da capital, deixando dez mortos e 40 feridos, afirmou o diretor do hospital da cidade, Jamis al Saad.

Perto de Samarra (125 km ao norte de Bagdá), três iraquianos morreram e um quarto resultou ferido quando o veículo em que estava passou sobre um artefato explosivo, segundo a polícia iraquiana.

Três Guardas Nacionais iraquianos também perderam a vida e outro ficou ferido na explosão de uma bomba perto da cidade de Hilla, ao sul de Bagdá, informou o exército polonês. Outras seis pessoas, entre elas três assaltantes, morreram em quatro ataques com carro-bomba, que também deixaram 18 feridos na região de Bagdá.

Em outro ataque, o coronel Alaa Bachir, da direção do ministério do Interior, e um tenente da polícia morreram na explosão de um carro-bomba em Amariya, oeste de Bagdá, causando também ferimentos em outros cinco policiais.

Num quarto ataque, também com carro-bomba perto da mesquita salafita Ibn Taymiyah, oeste de Bagdá, morreu um iraquiano, além do camicase, enquanto 13 pessoas ficaram feridas, entre elas, seis membros da Guarda Nacional.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Confrontos no Iraque deixam pelo menos 110 mortos

Do Diário OnLine
Com AFP

12/09/2004 | 22:05


Pelo menos 110 pessoas morreram neste domingo em mais um dia de violência no Iraque. As mortes aconteceram em diversos atentados e nos confrontos entre a guerrilha iraquiana e o exército americano.

De acordo com informações do Ministério da Saúde do Iraque, 51 mortes foram registradas em Tal Afar, perto da fronteira com a Síria, e outras 37 em Bagdá. Os outros ataques aconteceram em outras localidades.

O primeiro ministro Iyad Allawi informou que o número de mortos em atentados no Iraque depois da queda de Saddam Hussein, em abril de 2003, passou de 3 mil. Mais de 12 mil pessoas ficaram feridas nos ataques.

Mortes- O domingo sangrento no Iraque começou com a morte de treze pessoas, entre elas dois menores, durante três horas de combates e ataques de helicópteros americanos em pleno centro de Bagdá. Pelo menos 55 iraquianos e quatro americanos ficaram feridos.

Um porta-voz militar americano informou que um tanque foi atingido pela explosão de um carro-bomba, tendo sido destruído por pelas próprias forças americanas de apoio aéreo "para impedir que fosse depenado".

Pouco depois, dezenas de pessoas se reuniram em torno do tanque em chamas para comemorar. Dois helicópteros lançaram então mísseis em direção do Bradley, causando pelo menos cinco mortes — entre as vítimas fatais está um jornalista que fazia uma reportagem no local.

Poloneses- Três soldados poloneses morreram e outros três ficaram feridos num ataque perto de Hilla (100 km ao sul de Bagdá), de acordo com o porta-voz do Estado-Maior polonês, coronel Zbigniew Gnatowski.

"Os três feridos foram transferidos a um hospital de Kerbala. Suas vidas não correm perigo", destacou Gnatowski. Também foram registrados combates em Ramadi, a 100 km a oeste da capital, deixando dez mortos e 40 feridos, afirmou o diretor do hospital da cidade, Jamis al Saad.

Perto de Samarra (125 km ao norte de Bagdá), três iraquianos morreram e um quarto resultou ferido quando o veículo em que estava passou sobre um artefato explosivo, segundo a polícia iraquiana.

Três Guardas Nacionais iraquianos também perderam a vida e outro ficou ferido na explosão de uma bomba perto da cidade de Hilla, ao sul de Bagdá, informou o exército polonês. Outras seis pessoas, entre elas três assaltantes, morreram em quatro ataques com carro-bomba, que também deixaram 18 feridos na região de Bagdá.

Em outro ataque, o coronel Alaa Bachir, da direção do ministério do Interior, e um tenente da polícia morreram na explosão de um carro-bomba em Amariya, oeste de Bagdá, causando também ferimentos em outros cinco policiais.

Num quarto ataque, também com carro-bomba perto da mesquita salafita Ibn Taymiyah, oeste de Bagdá, morreu um iraquiano, além do camicase, enquanto 13 pessoas ficaram feridas, entre elas, seis membros da Guarda Nacional.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;