Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Ovo de Páscoa é até 324% mais caro que barra

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Diferença média de preços dos dois produtos
de uma mesma marca pode chegar a R$ 28,75


Marina Teodoro
Especial para o Diário

29/03/2015 | 07:23


O ovo de Páscoa já deixou de ser um símbolo religioso há tempos. Hoje, sua maior representação comercial vem em forma de chocolate, com embalagens inovadoras, diversos recheios e até brinquedos.

Para quem não se importa com a temática, opção que pode deixar a compra mais barata em até 324%, é a troca do ovo pelo mesmo produto em barras. É o caso do ovo Diamante Negro, da marca Lacta, de 320 gramas, que, de acordo com a pesquisa do Diário feita nos supermercados da região, o preço médio é de R$ 37,63, enquanto o mesmo chocolate em tabletes de 150 gramas custa R$ 4,44. Considerando que duas barras se aproximam ao peso do ovo, e seria necessário desembolsar R$ 8,88 para ter conteúdo equivalente, a economia é de R$ 28,75.

O Laka (Lacta), de 300 gramas, sai pelo mesmo preço médio, R$ 37,63. Enquanto as barras de 150 gramas custam R$ 4,94 cada, ou seja, duas saem por R$ 9,88. A diferença neste caso é de 280%, o que na prática gera economia de R$ 27,75. Significa que, com o preço do ovo, o consumidor poderia comprar sete barras, que juntas pesam mais do que um quilo. No caso do Diamante Negro, daria para adquirir oito barras pelo valor do ovo.

Outro jeito de mostrar quanto a barra pode ser mais barata é a comparação do preço deste produto de um quilo com o dos ovos prontos. De acordo com o levantamento nos estabelecimentos do Grande ABC, a média de preço da barra de chocolate ao leite da Garoto, de 1.000 gramas, é de R$ 31,49. Na mesma pesquisa feita com ovos industrializados, itens com essa mesma faixa de preço pesam até 375 gramas.

Para o presidente da rede de lojas Chocolândia, Osvaldo Nunes, a comparação de preços não é justa. “O ovo de Páscoa industrializado conta com uma logística muito mais elaborada”, comenta Nunes, referindo-se aos gastos com contratações de funcionários, aluguel de galpões para guardar os ovos que são feitos meses antes, entrega de material e propaganda, entre outros.

O presidente também destaca que os consumidores em geral preferem os ovos prontos. Porém, os tabletes são os mais procuradas nas seis unidades da rede. “Nosso carro-chefe são as barras destinadas aos produtores de chocolate caseiro. Só nesta Páscoa foram vendidos 3 milhões de quilos de barras.”

AUMENTO - Apesar de a diferença de preço entre os produtos ser grande, esse percentual diminuiu em relação ao ano passado, quando os ovos e as barras variavam em 365%. Isso se deve ao aumento dos preços dos insumos. Neste ano, a barra de um quilo chega a custar até 65% mais caro do que na Páscoa passada, quando o preço era de R$ 18,99.

De acordo com pesquisa da Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), os preços dos ovos infantis apresentaram maior encarecimento em relação aos valores praticados no ano passado, com alta de até 32,1%. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;