Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Escola é invadida no Parque Miami

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Emeief teve portas arrombadas, livros rasgados, cadeiras quebradas e fezes na geladeira


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

06/03/2015 | 07:00


Os pais de alunos da Emeief Machado de Assis, no Parque Miami, em Santo André, estão preocupados com ataques de vândalos à unidade de ensino. Há uma semana, o prédio foi invadido, teve portas arrombadas, livros rasgados e até necessidades fisiológicas espalhadas pelo espaço.

Segundo a dona de casa Luciana Aparecida Marcelane, 32 anos, mãe de dois filhos de 6 anos que estudam no local, o vandalismo deixou rastro de destruição. “Eles arrombaram duas salas de aula e o armário de limpeza, pegaram os produtos e jogaram nas atividades das crianças. Os invasores urinaram em diversos locais e colocaram fezes na geladeira.”

Ela, que também participa do conselho da escola, que reúne pais e representantes, disse que a situação já aconteceu diversas vezes em 2014, porém, a deste ano trouxe mais danos. Luciana convocou os pais para discutir a segurança. “Queremos a instalação de câmeras e também um guarda-civil em tempo integral. Pretendemos levar essas questões até a Secretaria de Educação. A gente sabe que o ideal seria a conscientização, mostrar que é um bem público e que os filhos dessas pessoas podem um dia estudar lá”, disse.

A avó Maria Madalena de Paula, 55, tem quatro netos matriculados e lamentou não poder ver os trabalhos das crianças. “A gente gosta de guardar tudo o que eles fazem e agora não faremos isso. Fico com medo de mandá-los para a escola assim.”

A dona de casa Debora Silva dos Santos, 29, disse que foi um susto para todas as mães quando souberam dos problemas. “Disseram que não teria aula porque a escola foi invadida. Foi triste ver tudo destruído”, afirmou.

“Quebraram cadeiras e tinha embalagens de drogas no chão. Fiquei desesperada e indignado com o cenário e pensei em escrever ao Diário”, disse a mãe de três alunos Letícia Cristina Canto, 25.

No 6º DP (Jardim do Estádio), responsável pela área, não há nenhum boletim de ocorrência sobre os casos. A Prefeitura de Santo André informou que vai intensificar a ronda escolar e estuda a instalação de câmeras de videomonitoramento no local.

A Secretaria de Educação, defendeu que uma das ações mais efetivas para prevenir o vandalismo é aproximar a comunidade da escola. Por isso no Programa Relação Escola-Comunidade, moradores são incentivados a participar das atividades, cuidar do espaço e utilizá-lo em atividades sociais e recreativas, inclusive aos fins de semana. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;