Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Nas filmagens do Carrossel


Daniel Macário
Especial para o Diário

01/02/2015 | 07:00


 Os alunos da Escola Mundial vão tirar férias e viverão aventuras nas telas do cinema em Carrossel – O Filme, com estreia marcada para 9 de julho. O Diarinho foi conferir de perto os últimos dias de gravação e descobriu como é a rotina dos atores mirins e qual é a história. 

Na trama, os amigos vão passar as férias no acampamento Panapaná, do avô de Alicia (Fernanda Concon). O lugar tem diversos ambientes, que podem ser usados para aprontar bastante. “É incrível! Fizemos sujeira na lama, tivemos várias cenas engraçadas com direito a tomar um rola e ver chinelo voando”, lembra Gustavo Daneluz, que interpreta Mario Ayala.

Os personagens participam de uma gincana organizada pelo Senhor Campos. A competição desperta a rivalidade e o companheirismo. “Nem parece que estamos gravando o filme. Está sendo praticamente uma viagem de férias”, afirma Adriano Ramos, que faz Konstantino Atanassopolus nas telas.

Mas nem tudo será festa. É nesse clima de diversão que chega Gonzales (Paulo Miklos, da banda Titãs). Ele é funcionário de uma empresa que deseja comprar o terreno do acampamento para transformá-lo em uma fábrica que causa muita poluição. O que o vilão e seu parceiro Gonzalito (Oscar Filho) não esperam, é que a turma da Escola Mundial poderá atrapalhar seus planos. 

“Ao longo da história, deixamos de lado a gincana para nos unirmos em defesa de único objetivo. Mostra o espírito de companheirismo do grupo”, diz Jorge Cavalieri, o Léo Belmonte.

“O filme vai ser mágico. Teremos um novo casal, novas aventuras e falaremos da importância da amizade”, conta Davi Rabinovich, que interpreta o Guilherme Seta. “Ao fazer um filme aprendemos como é legal guardar segredo. Às vezes, minha família pergunta o que vai acontecer na história e digo que só vão saber quando assistirem ao filme. É divertido.”


Grupo grava duas cenas por dia

Depois de gravar para TV e realizar projetos de CD e DVD, a turma da Escola Mundial conta que o período de filmagens para o cinema foi mágico. “A experiência é única. Tivemos de lidar com coisas que não estávamos acostumados antes na televisão. No filme, as cenas precisam ser perfeitas. Por isso, gravamos várias vezes a mesma coisa”, revela Stefany Vaz, que interpreta Carmen Carrilho.

Em geral, o grupo faz duas cenas por dia e fica, ao todo, oito horas atuando. O tempo é dividido entre refeições, troca de figurino e até mesmo brincadeiras. “Acabamos nos divertindo nas horas de folga”, afirma Thomaz Costa, que dá vida a Daniel Zapata.

Larissa Manoela, que faz Maria Joaquina, já havia gravado outros filmes. Para ela, o principal aprendizado dessa experiência é acompanhar o amadurecimento do personagem. “Eles cresceram junto com a gente. No filme, mostramos essa mudança.”

Usar a internet é passatempo favorito na hora da folga

O acampamento fica em Palhereiros, São Paulo, bem distante de casa. Há apenas um familiar acompanhando cada ator mirim. Longe dos amigos e da escola, a principal distração do grupo são as redes sociais. As preferidas são Facebook, Instagram e WhatsApp, que também são usadas para se comunicar com os fãs.

“Quando estamos em São Paulo parece que nada acontece. Mas aqui, quando chego no hotel, meu WhatsApp tem 1.001 mensagens”, revela Maísa Silva, que interpreta a Valéria Ferreira.

Os atores não podem levar o celular para as gravações, mas afirmam não sentir falta enquanto estão atuando. “Ficamos tão focados no nosso trabalho que nem percebemos a falta dos aparelhos. Mas, quando voltamos para o hotel, aí sim postamos fotos, vejo quem começou a me seguir e o que tem de novidade”, conta Stefany Vaz, a

Carmen Carrilho, que curte mostrar aos seguidores tudo que acontece nas filmagens.

Já durante a troca de figurino, a distração fica por conta de bate-papo, piadas e fofocas no camarim junto da equipe de maquiagem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nas filmagens do Carrossel

Daniel Macário
Especial para o Diário

01/02/2015 | 07:00


 Os alunos da Escola Mundial vão tirar férias e viverão aventuras nas telas do cinema em Carrossel – O Filme, com estreia marcada para 9 de julho. O Diarinho foi conferir de perto os últimos dias de gravação e descobriu como é a rotina dos atores mirins e qual é a história. 

Na trama, os amigos vão passar as férias no acampamento Panapaná, do avô de Alicia (Fernanda Concon). O lugar tem diversos ambientes, que podem ser usados para aprontar bastante. “É incrível! Fizemos sujeira na lama, tivemos várias cenas engraçadas com direito a tomar um rola e ver chinelo voando”, lembra Gustavo Daneluz, que interpreta Mario Ayala.

Os personagens participam de uma gincana organizada pelo Senhor Campos. A competição desperta a rivalidade e o companheirismo. “Nem parece que estamos gravando o filme. Está sendo praticamente uma viagem de férias”, afirma Adriano Ramos, que faz Konstantino Atanassopolus nas telas.

Mas nem tudo será festa. É nesse clima de diversão que chega Gonzales (Paulo Miklos, da banda Titãs). Ele é funcionário de uma empresa que deseja comprar o terreno do acampamento para transformá-lo em uma fábrica que causa muita poluição. O que o vilão e seu parceiro Gonzalito (Oscar Filho) não esperam, é que a turma da Escola Mundial poderá atrapalhar seus planos. 

“Ao longo da história, deixamos de lado a gincana para nos unirmos em defesa de único objetivo. Mostra o espírito de companheirismo do grupo”, diz Jorge Cavalieri, o Léo Belmonte.

“O filme vai ser mágico. Teremos um novo casal, novas aventuras e falaremos da importância da amizade”, conta Davi Rabinovich, que interpreta o Guilherme Seta. “Ao fazer um filme aprendemos como é legal guardar segredo. Às vezes, minha família pergunta o que vai acontecer na história e digo que só vão saber quando assistirem ao filme. É divertido.”


Grupo grava duas cenas por dia

Depois de gravar para TV e realizar projetos de CD e DVD, a turma da Escola Mundial conta que o período de filmagens para o cinema foi mágico. “A experiência é única. Tivemos de lidar com coisas que não estávamos acostumados antes na televisão. No filme, as cenas precisam ser perfeitas. Por isso, gravamos várias vezes a mesma coisa”, revela Stefany Vaz, que interpreta Carmen Carrilho.

Em geral, o grupo faz duas cenas por dia e fica, ao todo, oito horas atuando. O tempo é dividido entre refeições, troca de figurino e até mesmo brincadeiras. “Acabamos nos divertindo nas horas de folga”, afirma Thomaz Costa, que dá vida a Daniel Zapata.

Larissa Manoela, que faz Maria Joaquina, já havia gravado outros filmes. Para ela, o principal aprendizado dessa experiência é acompanhar o amadurecimento do personagem. “Eles cresceram junto com a gente. No filme, mostramos essa mudança.”

Usar a internet é passatempo favorito na hora da folga

O acampamento fica em Palhereiros, São Paulo, bem distante de casa. Há apenas um familiar acompanhando cada ator mirim. Longe dos amigos e da escola, a principal distração do grupo são as redes sociais. As preferidas são Facebook, Instagram e WhatsApp, que também são usadas para se comunicar com os fãs.

“Quando estamos em São Paulo parece que nada acontece. Mas aqui, quando chego no hotel, meu WhatsApp tem 1.001 mensagens”, revela Maísa Silva, que interpreta a Valéria Ferreira.

Os atores não podem levar o celular para as gravações, mas afirmam não sentir falta enquanto estão atuando. “Ficamos tão focados no nosso trabalho que nem percebemos a falta dos aparelhos. Mas, quando voltamos para o hotel, aí sim postamos fotos, vejo quem começou a me seguir e o que tem de novidade”, conta Stefany Vaz, a

Carmen Carrilho, que curte mostrar aos seguidores tudo que acontece nas filmagens.

Já durante a troca de figurino, a distração fica por conta de bate-papo, piadas e fofocas no camarim junto da equipe de maquiagem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;