Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Professor troca Lula por Heloísa Helena


Sergio Kapustan
Do Diário do Grande ABC

20/09/2005 | 08:07


Protagonista de insultos e empurrões entre petistas no domingo, quando entregou carta de desfiliação ao PT de São Bernardo, o professor universitário Mauro Iasi, 45 anos, afirmou segunda-feira que mais de 500 filiados com o governo Lula devem deixar a sigla até o final deste mês no Estado. Segundo Iasi, os descontentes são lideranças sindicalistas da CUT e de movimentos socais mais à esquerda do partido.

Um dia após dizer adeus ao PT, o professor anunciou que já tem candidato a presidente da República em 2006: a senadora Heloisa Helena (P-Sol/AL). A exemplo do professor, a senadora deixou o PT por discordar dos rumos do governo Lula, especialmente "a continuidade da política econômica do governo FHC" e as alianças com segmentos conservadores no Congresso Nacional. "Heloisa Helena representa um projeto que se contrapõe ao governo Lula, que estrangulou as reformas sociais em nome da estabilidade econômica", aponta o professor, que se diz socialista.

Professor titular de Ciência Política da Faculdade de Direito de São Bernardo, Mauro Iasi recebeu segunda-feira telefonemas de amigos e alunos comentando o tumulto na sede do partido, quando criticou o PED (Processo de Eleição Direta), chamando o pleito de farsa.

Mauro Iasi, um dos fundadores da sigla, explica que a decisão de abandonar o PT foi pensada. Primeiro, ele votou em Plínio de Arruda Sampaio para presidente nacional e depois anunciou sua desfiliação. Ele estuda a evolução do partido desde a sua fundação, em 1980, e foi o tema de sua tese de doutorado na USP, defendida no final do ano passado. Segundo o professor, na medida em que as lideranças petistas priorizaram a consolidação do partido pelas urnas, o PT foi se afastando de suas bandeiras. "A opção pelo pragmatismo eleitoral iniciou-se há 15 anos e deformou o programa histórico do PT. Em vez de um partido voltado para a classe trabalhadora, o PT é hoje uma máquina eleitoral burocrática."

A postura do professor no diretório foi questionada por petistas. Um dos mais irritados é o vereador Tião Mateus, do Campo Majoritário de São Bernardo, força política que venceu a eleição do diretório com mais de 50% dos votos. Para o parlamentar, as críticas do professor foram injustas e inoportunas. "Se ele já havia decidido se desfiliar, não vejo motivo para ter ido até a sede do diretório e criar um tumulto", criticou o vereador.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;