Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fiat suspende diretores do sindicato de Betim


Do Diário do Grande ABC

30/09/1999 | 18:25


A Fiat Automóveis suspendeu nesta quinta-feira, por um período de 30 dias, oitos funcionários diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim. Durante a suspensao, a empresa vai investigar a participaçao desses sindicalistas no conflito de quarta-feira, que deixou pelo menos 17 feridos. O confronto entre policiais, seguranças da montadora, operários e sindicalistas da centrais CUT e Força Sindical ocorreu por volta das 5 horas de quarta-feira, durante a tentativa frustrada dos metalúrgicos de parar a montadora italiana. O protesto era parte do "Festival de Greves", organizado pelas centrais para pressionar o setor automobilístico a definir um contrato coletivo nacional para a categoria.

Para liberar a Rodovia Fernao Dias, que havia sido interditada pelos manifestantes para impedir o acesso dos trabalhadores à fabrica, policiais militares usaram bombas de efeito moral e tiros para o alto. Apenas às 9 horas os funcionários da Fiat começaram a entrar para o início do expediente.

A suspensao de funcionários estáveis para investigaçao sobre envolvimento em falta grave está prevista no artigo 494 da Consolidaçao das Leis do Trabalho (CLT). De acordo com a Assessoria de Imprensa, a direçao da montadora quer saber o grau de culpabilidade dos diretores nos ferimentos provocados em 17 funcionários atendidos na unidade hospitalar interna.

Os metalúrgicos suspensos chamaram a medida de retaliaçao e foram às portarias da fábrica protestar. Nesta quinta-feira a Federaçao Sindical e Democrática dos Metalúrgicos de Minas Gerais enviou carta ao governador Itamar Franco (PMDB) cobrando explicaçoes sobre a atuaçao da PM no ocorrido. "A quem deve obediência a Polícia de Minas?", questiona o documento. "Ao governador do Estado ou à direçao das empresas multinacionais?" De acordo com a federaçao, a PM, além de agredir os manifestantes, sob orientaçao de seguranças da Fiat, impediu até a distribuiçao de boletins do sindicato dos metalúrgicos.

Produçao - A Fiat informou nesta quinta-feira que o conflito da quarta-feira nao provocou baixa na produtividade diária que é, em média, de 1.800 carros. Com as atividades normalizadas, a montadora comemorou nesta quinta-feira o lançamento do novo modelo da marca, o Bravo. Os trabalhadores foram recebidos, no início de seus turnos, por trios-elétricos. Tiveram almoço e jantar especiais e a oportunidade de participar do test-drive do carro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fiat suspende diretores do sindicato de Betim

Do Diário do Grande ABC

30/09/1999 | 18:25


A Fiat Automóveis suspendeu nesta quinta-feira, por um período de 30 dias, oitos funcionários diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim. Durante a suspensao, a empresa vai investigar a participaçao desses sindicalistas no conflito de quarta-feira, que deixou pelo menos 17 feridos. O confronto entre policiais, seguranças da montadora, operários e sindicalistas da centrais CUT e Força Sindical ocorreu por volta das 5 horas de quarta-feira, durante a tentativa frustrada dos metalúrgicos de parar a montadora italiana. O protesto era parte do "Festival de Greves", organizado pelas centrais para pressionar o setor automobilístico a definir um contrato coletivo nacional para a categoria.

Para liberar a Rodovia Fernao Dias, que havia sido interditada pelos manifestantes para impedir o acesso dos trabalhadores à fabrica, policiais militares usaram bombas de efeito moral e tiros para o alto. Apenas às 9 horas os funcionários da Fiat começaram a entrar para o início do expediente.

A suspensao de funcionários estáveis para investigaçao sobre envolvimento em falta grave está prevista no artigo 494 da Consolidaçao das Leis do Trabalho (CLT). De acordo com a Assessoria de Imprensa, a direçao da montadora quer saber o grau de culpabilidade dos diretores nos ferimentos provocados em 17 funcionários atendidos na unidade hospitalar interna.

Os metalúrgicos suspensos chamaram a medida de retaliaçao e foram às portarias da fábrica protestar. Nesta quinta-feira a Federaçao Sindical e Democrática dos Metalúrgicos de Minas Gerais enviou carta ao governador Itamar Franco (PMDB) cobrando explicaçoes sobre a atuaçao da PM no ocorrido. "A quem deve obediência a Polícia de Minas?", questiona o documento. "Ao governador do Estado ou à direçao das empresas multinacionais?" De acordo com a federaçao, a PM, além de agredir os manifestantes, sob orientaçao de seguranças da Fiat, impediu até a distribuiçao de boletins do sindicato dos metalúrgicos.

Produçao - A Fiat informou nesta quinta-feira que o conflito da quarta-feira nao provocou baixa na produtividade diária que é, em média, de 1.800 carros. Com as atividades normalizadas, a montadora comemorou nesta quinta-feira o lançamento do novo modelo da marca, o Bravo. Os trabalhadores foram recebidos, no início de seus turnos, por trios-elétricos. Tiveram almoço e jantar especiais e a oportunidade de participar do test-drive do carro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;