Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

CPI do Narcotráfico deve investigar traficante carioca


Do Diário do Grande ABC

29/01/2000 | 18:41


A CPI do Narcotráfico da Câmara dos Deputados vai ouvir o traficante carioca Marcelo Soares de Medeiros, o Marcelo PQD, preso sexta-feira na cidade de Gravataí (RS), segundo informou o sub-relator Pompeo de Mattos (PDT-RS). Um dos objetivos do depoimento é verificar ''se existem ainda ligaçoes dele com o Fernandinho Beira-Mar (atualmente escondido no Paraguai), como ocorria há dois anos``, justificou o parlamentar.

Os deputados pretendem saber sobre as atividades de Marcelo PQD como traficante e suas relaçoes com outros traficantes e atividades no Morro do Dendê, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. O depoimento de Marcelo PQD será tomado assim que forem reiniciados os trabalhos da CPI do Narcotráfico, previstos para 15 de fevereiro.

Ele foi preso por uma equipe de policiais da Divisao de Repressao a Entorpecentes (DRE) do Rio de Janeiro, chefiada pelo delegado Cláudio Vieira, num sítio de 3,3 mil metros quadrados que o traficante tinha comprado no loteamento 'Recanto dos Pampas', em Gravataí, cidade metropolitana distante 23 quilômetros da capital gaúcha. Ali era um refúgio ocasional do traficante, que visitava a família pelo menos uma vez por mês.

No sítio viviam a mulher de Marcelo, Aline Santos, a irma dela, Aninha, o filho do traficante, de um ano de idade e um homem ligado a Aninha. O refúgio do traficante era cercado por um muro de dois metros de altura e protegido por grades, com poucos contatos com vizinhos. Mais procurado traficante pela polícia do Rio nos últimos meses, Marcelo PQD é o terceiro grande traficante carioca preso ou com imóveis no Rio Grande do Sul.

Em maio de 1996 a polícia descobriu que o traficante Uê tinha adquirido vários imóveis no município gaúcho de Novo Hamburgo. Salas e apartamentos no valor de R$ 700 mil que estavam no nome da mulher dele, Mônica Constantino da Costa, que usava identidade falsa. Em agosto de 1996, o traficante Márcio Nepomuceno, o Marcinho VP, foi preso num apartamento em Porto Alegre pela polícia carioca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CPI do Narcotráfico deve investigar traficante carioca

Do Diário do Grande ABC

29/01/2000 | 18:41


A CPI do Narcotráfico da Câmara dos Deputados vai ouvir o traficante carioca Marcelo Soares de Medeiros, o Marcelo PQD, preso sexta-feira na cidade de Gravataí (RS), segundo informou o sub-relator Pompeo de Mattos (PDT-RS). Um dos objetivos do depoimento é verificar ''se existem ainda ligaçoes dele com o Fernandinho Beira-Mar (atualmente escondido no Paraguai), como ocorria há dois anos``, justificou o parlamentar.

Os deputados pretendem saber sobre as atividades de Marcelo PQD como traficante e suas relaçoes com outros traficantes e atividades no Morro do Dendê, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. O depoimento de Marcelo PQD será tomado assim que forem reiniciados os trabalhos da CPI do Narcotráfico, previstos para 15 de fevereiro.

Ele foi preso por uma equipe de policiais da Divisao de Repressao a Entorpecentes (DRE) do Rio de Janeiro, chefiada pelo delegado Cláudio Vieira, num sítio de 3,3 mil metros quadrados que o traficante tinha comprado no loteamento 'Recanto dos Pampas', em Gravataí, cidade metropolitana distante 23 quilômetros da capital gaúcha. Ali era um refúgio ocasional do traficante, que visitava a família pelo menos uma vez por mês.

No sítio viviam a mulher de Marcelo, Aline Santos, a irma dela, Aninha, o filho do traficante, de um ano de idade e um homem ligado a Aninha. O refúgio do traficante era cercado por um muro de dois metros de altura e protegido por grades, com poucos contatos com vizinhos. Mais procurado traficante pela polícia do Rio nos últimos meses, Marcelo PQD é o terceiro grande traficante carioca preso ou com imóveis no Rio Grande do Sul.

Em maio de 1996 a polícia descobriu que o traficante Uê tinha adquirido vários imóveis no município gaúcho de Novo Hamburgo. Salas e apartamentos no valor de R$ 700 mil que estavam no nome da mulher dele, Mônica Constantino da Costa, que usava identidade falsa. Em agosto de 1996, o traficante Márcio Nepomuceno, o Marcinho VP, foi preso num apartamento em Porto Alegre pela polícia carioca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;