Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 19 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ventilador vira artigo de luxo e consumidores reclamam dos preços

Calor intenso eleva procura e margem de lucro do produto, que encarece


Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

16/01/2015 | 07:17


Os consumidores estão insatisfeitos com os preços dos ventiladores. Reclamam que estão mais caros. Porém, os termômetros de rua, que bateram na casa dos 40° nesta semana, pesaram mais. Mesmo sem aprovar os valores, as famílias os estão desembolsando para adquirir os produtos.

Sorte de quem já conseguiu comprar, pois a tendência é de que o preço fique ainda maior. Com o excesso de demanda, há inflação natural. E o varejo, após resultado ruim no fim do ano, tem aproveitado para ganhar margem de lucro nos itens que agora estão vendendo mais, caso dos ventiladores, explicou o especialista em varejo da FIA (Fundação Instituto de Administração) Nuno Fouto. “Se o calor intenso continuar, a coisa se estende mais. Ou seja, a tendência é de que os preços continuem subindo.”

Fouto opinou ainda que é possível que o varejo tenha sido pessimista e apostado baixo no verão. “Portanto, o que normalmente acontece, em um segundo pedido para a indústria, é que os lojistas acabam exagerando. Muitas pessoas já compraram os ventiladores e não comprarão mais. E os preços, com muita oferta, acabarão caindo quando o calor der um refresco.”

O advogado Wellington França, 31 anos, e sua mulher, a dona de casa Cristiane França, 32, se precaveram contra a inflação. Pesquisaram para driblar os preços altos e, ontem, compraram três ventiladores por R$ 70 cada. “Como o escritório do meu marido é em casa, precisamos de mais aparelhos”, disse Cristiane. Com a aquisição, a casa ficará com seis ventiladores e um circulador de ar. “O calor está demais. Os (equipamentos) que estão em casa não deram conta.”

A dona de casa Maria José Silva, 34, comprou ontem um ventilador por R$ 120. “Tenho um já, mas tenho dois quartos em casa e precisava de mais um. Acho que paguei muito caro, mas foi o melhor preço que achei”, reclamou. Para a dona de casa Adriana Cavalcante, 33, os lojistas estão exagerando nos preços. “Eu queria um ventilador grande, pois esse sei que é bom. Tive que comprar, mesmo sendo caro.” Ela desembolsou R$ 120, mas avisou que se conseguir emprego neste ano, vai comprar um ar-condicionado.

“Está tudo muito caro. Eu queria pagar até uns R$ 70 por um bom aparelho”, avisou a operadora de caixa Robelia Santos Bonfim, 27, que estava pesquisando preços.
“Ultimamente os preços estão muito abusivos. Comecei a dar uma olhada nas lojas há dois meses, mas até agora não achei (um mais em conta)”, disse a dona de casa Maria José dos Santos, 52, que procura ventilador para a filha.

BRIGA - A encarregada geral Patrícia Marques e a gerente Alessandra Rodrigues, ambas da Maisvaldir do Centro de São Bernardo, revelaram que os clientes, no sábado, disputaram ventiladores da loja e até discutiram. “Enquanto um estava indeciso, o outro escolheu a última peça do modelo, quase teve briga”, disse Patrícia. Alessandra lembrou que, nesse dia, enquanto o caminhão descarregava os equipamentos para abastecer a loja, a clientela fazia filas para adquirí-los. “Em média vendemos 100 peças por dia. No sábado, foram 260, contando com os circuladores também.”

Até loja de bijuterias tem o produto para vender. Na Princesa Bijoux, na mesma cidade, a vendedora Luciana Yan calculou que tem vendido, em média, dez ventiladores por dia. “A procura é intensa”, diz ela, que tem produtos a R$ 70.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ventilador vira artigo de luxo e consumidores reclamam dos preços

Calor intenso eleva procura e margem de lucro do produto, que encarece

Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

16/01/2015 | 07:17


Os consumidores estão insatisfeitos com os preços dos ventiladores. Reclamam que estão mais caros. Porém, os termômetros de rua, que bateram na casa dos 40° nesta semana, pesaram mais. Mesmo sem aprovar os valores, as famílias os estão desembolsando para adquirir os produtos.

Sorte de quem já conseguiu comprar, pois a tendência é de que o preço fique ainda maior. Com o excesso de demanda, há inflação natural. E o varejo, após resultado ruim no fim do ano, tem aproveitado para ganhar margem de lucro nos itens que agora estão vendendo mais, caso dos ventiladores, explicou o especialista em varejo da FIA (Fundação Instituto de Administração) Nuno Fouto. “Se o calor intenso continuar, a coisa se estende mais. Ou seja, a tendência é de que os preços continuem subindo.”

Fouto opinou ainda que é possível que o varejo tenha sido pessimista e apostado baixo no verão. “Portanto, o que normalmente acontece, em um segundo pedido para a indústria, é que os lojistas acabam exagerando. Muitas pessoas já compraram os ventiladores e não comprarão mais. E os preços, com muita oferta, acabarão caindo quando o calor der um refresco.”

O advogado Wellington França, 31 anos, e sua mulher, a dona de casa Cristiane França, 32, se precaveram contra a inflação. Pesquisaram para driblar os preços altos e, ontem, compraram três ventiladores por R$ 70 cada. “Como o escritório do meu marido é em casa, precisamos de mais aparelhos”, disse Cristiane. Com a aquisição, a casa ficará com seis ventiladores e um circulador de ar. “O calor está demais. Os (equipamentos) que estão em casa não deram conta.”

A dona de casa Maria José Silva, 34, comprou ontem um ventilador por R$ 120. “Tenho um já, mas tenho dois quartos em casa e precisava de mais um. Acho que paguei muito caro, mas foi o melhor preço que achei”, reclamou. Para a dona de casa Adriana Cavalcante, 33, os lojistas estão exagerando nos preços. “Eu queria um ventilador grande, pois esse sei que é bom. Tive que comprar, mesmo sendo caro.” Ela desembolsou R$ 120, mas avisou que se conseguir emprego neste ano, vai comprar um ar-condicionado.

“Está tudo muito caro. Eu queria pagar até uns R$ 70 por um bom aparelho”, avisou a operadora de caixa Robelia Santos Bonfim, 27, que estava pesquisando preços.
“Ultimamente os preços estão muito abusivos. Comecei a dar uma olhada nas lojas há dois meses, mas até agora não achei (um mais em conta)”, disse a dona de casa Maria José dos Santos, 52, que procura ventilador para a filha.

BRIGA - A encarregada geral Patrícia Marques e a gerente Alessandra Rodrigues, ambas da Maisvaldir do Centro de São Bernardo, revelaram que os clientes, no sábado, disputaram ventiladores da loja e até discutiram. “Enquanto um estava indeciso, o outro escolheu a última peça do modelo, quase teve briga”, disse Patrícia. Alessandra lembrou que, nesse dia, enquanto o caminhão descarregava os equipamentos para abastecer a loja, a clientela fazia filas para adquirí-los. “Em média vendemos 100 peças por dia. No sábado, foram 260, contando com os circuladores também.”

Até loja de bijuterias tem o produto para vender. Na Princesa Bijoux, na mesma cidade, a vendedora Luciana Yan calculou que tem vendido, em média, dez ventiladores por dia. “A procura é intensa”, diz ela, que tem produtos a R$ 70.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;