Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Amarelo e branco protagonizam vitrines para o Ano-Novo

Ari Paleta/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Consumidores do Grande ABC optam pelas
cores para tentar atrair dinheiro e paz em 2015


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

28/12/2014 | 07:11


Mal o Natal saiu de cena, os corredores dos shoppings e comércios de rua do Grande ABC já estavam lotados de consumidores em busca da roupa ideal para dar as boas-vindas a 2015.

O fato de este ano ter sido marcado por uma crise na economia que deixou muita gente desempregada ou com receio de perder o trabalho, e ao mesmo tempo endividada, pelo fato de ter esbanjado em 2013 e ainda ter de arcar com os longos parcelamentos, fez com que os lojistas apostassem no amarelo e no branco em suas vitrines, a fim de atrair compradores que almejam que o ano seguinte traga mais dinheiro, mas sem se esquecer da paz.

“Hoje, até agora (ontem, por volta de 15h), vendi 35 bermudas amarelas”, conta o subgerente da Polo Wear Robinson Jorge. “Acho que o pessoal está querendo ganhar mais dinheiro em 2015.” Na loja, a vitrine tinha 45% das roupas amarelas, 30% brancas e 25% azuis – que transmite tranquilidade.

A funcionária pública Jéssica Borges, 34 anos, moradora de Ribeirão Pires, já havia decidido passar a virada do ano de amarelo e branco. “São cores que estão se usando muito. São alegres, típicas de verão. E é bom que já atrai um dinheirinho também.”

A auxiliar de dentista andreense Mayara Matricardi, 25, estava em busca de uma cor para complementar o visual de shorts branco, “Hoje (ontem) de manhã pesquisei na internet o significado das cores. Vou optar pelo amarelo ou verde (esperança).”

A subgerente da Miroa Adriana Moraes conta que o que mais está saindo na loja, cuja vitrine é protagonizada pelo amarelo e branco, são vestidos nessas cores ou a combinação delas em saias, shorts e blusas. “Metade das peças vendidas é amarela e, a outra metade, branca. Acho que o pessoal quer ganhar mais dinheiro no ano que vem.”

O percentual, de 50% para cada cor, é o mesmo da Program. “Devido à alta procura, decidimos colocar essas cores na vitrine”, conta a gerente Fabiana Vasconcelos.

BRANCO - Para muita gente, o branco é fundamental na hora de compor o visual do Réveillon. A outra cor, para a roupa não ficar monocromática, geralmente não importa. O que vale é ficar bonita e se sentir bem. Para a auxiliar administrativa Regina Onorato, 29, de São Paulo, a escolha das cores para atrair coisas boas é pura superstição. “Gosto de virar o ano com cores claras. Neste ano vou passar de branco e dourado.”

A recepcionista Rosa Lima, 27, de Santo André, partilha desse pensamento. “Eu adoro branco, por isso vou usá-la no Ano-Novo em um shorts. Mas ainda não escolhi a cor da blusa. Pode ser amarela ou vermelha, tanto faz. Preciso gostar da peça.”

Mãe e filha, Liana e Edilene Lima, 34 e 17, respectivamente, bancária e estudante de Santo André, também priorizam o branco, mas mesclam com outra cor, por exemplo, o verde. “Sempre compramos roupa nova para o Réveillon. É bom entrar o ano com peça nova”, afirma Liana.

OFERTA - Para desovar calcinhas, sutiãs e biquínis amarelos e brancos a Scala realiza promoção. Uma peça dá 10% de desconto, duas, 20% e, três, 30%. “São cores que vendem bem no Ano-Novo”, diz a gerente Luciene Souza. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;