Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Interdição em estrada
deixa 220 famílias isoladas

Após decisão judicial, moradores do bairro Baraldi ficam
ilhados com fechamento de parte da Estrada do Montanhão


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

16/12/2011 | 07:00


Cerca de 220 famílias do bairro Baraldi, em São Bernardo, ficaram isoladas após o fechamento de parte da Estrada do Montanhão. A via dá acesso ao Jardim Selecta, no mesmo município, e corta parte do Parque Natural do Pedroso, em Santo André. Trecho de aproximadamente 1,8 quilômetro foi interditado pelo Semasa após decisão judicial que tramita desde 1992 na 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Santo André. O autor da ação é o Ministério Público, que alega que a utilização da estrada, localizada em área de manancial, gera danos ao meio ambiente.

A maioria dos habitantes do bairro trabalha e é atendida pelos serviços públicos de Saúde e Educação nos bairros Silvina e Selecta. Segundo moradores, o trajeto pela estrada era feito de ônibus em cerca de meia hora.

A estimativa é de que, a partir de agora, o tempo seja até quatro vezes maior.
Como rota alternativa, os moradores têm a Estrada da Pedra Branca (veja mapa), que é estreita e permite a passagem de apenas um veículo por vez. Outro problema são as curvas, que dificultam a passagem de ônibus. A estrada dá acesso ao bairro do Areião. O trajeto opcional é três vezes maior do que o antigo.

Morador do Baraldi há oito anos, o vendedor Edson Adriano da Silva, 39, questiona a alegação de que a estrada seja nociva ao meio ambiente. "É engraçado que, durante as obras do Rodoanel, os caminhões utilizavam aqui como passagem, deixavam sujeira e ninguém falava nada." Para a dona de casa Valdirene Mariano da Silva, 35, a sensação é de enclausuramento. "Estamos presos sem termos cometido crime algum."

Entre os principais temores dos isolados está a falta de assistência do poder público. "Nossos filhos estudam no Silvina. Como vamos fazer para levá-los até lá? Além disso, tenho duas pessoas de cama em casa. Como a ambulância vai chegar lá se precisarmos?", questiona a dona de casa Soraia Roseli de Souza, 36. A Prefeitura de São Bernardo irá se reunir hoje com moradores para discutir mudanças na linha de ônibus que chegava ao bairro.

SANTUÁRIO

A interdição prejudicou também frequentadores do Santuário Nacional de Umbanda. A poucos metros do local, bloqueio parcial permite a entrada de veículos. "Muitos moradores estão contra nós, achando que fomos beneficiados. Estamos na mesma luta que eles. Por nós, isso não seria fechado", comenta o pai de santo Ronaldo Linares. O filho dele, João Rodolfo, que também gerencia o santuário, relembra de um caso que ilustra a péssima qualidade das estradas do bairro. "Uma vez teve um casamento aqui e a noiva viria de limusine. Dissemos que não iria passar. Seria melhor vir de jipe", brinca.

‘Sto.André ofendeu nossa soberania', diz Giba Marson

O secretário de Gestão Ambiental de São Bernardo, Giba Marson, fez duras críticas à Prefeitura de Santo André e ao Poder Judiciário por conta da interdição na Estrada do Montanhão. "Nossa cidade amanhece com a autonomia e soberania arranhadas por esse gesto impensado e imaturo, sem nenhum resultado prático do ponto de vista ambiental", critica.

O Semasa se defende com a alegação de que apenas cumpriu a determinação da Justiça, afirmação contestada por Marson. "A sentença diz que o Ministério Público e a Prefeitura (de Santo André) fizeram acordo para o fechamento da estrada, e isso foi homologado. É mais uma mentira do Semasa e do prefeito Aidan Ravin. Eles não têm coragem de assumir e falar a verdade."

O secretário afirma que há três ações em andamento para tentar suspender a decisão. A Prefeitura irá tentar levar o caso ao Superior Tribunal de Justiça.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;