Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Mãe contraria filho e quer perfume no Dia das Mães


Hugo Cilo
Do Diário do Grande ABC

07/05/2005 | 14:17


No Dia das Mães deste ano, os filhos querem presentear com geladeiras, mas as mães preferem ganhar perfume ou cosméticos. A constatação está na última sondagem da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) sobre as tendências de consumo da segunda melhor data comercial do ano. O levantamento estima que o varejo vai vender mais 4% em comparação à mesma data do ano passado, na Grande São Paulo. Os números não consideram uma possível explosão de vendas de última hora, um fator não descartado pela entidade. Em 2003, as vendas caíram 8,7% em relação ao ano anterior. No ano passado, houve crescimento de 3,6%.

A geladeira lidera o ranking dos objetos que os filhos acreditam que suas mães querem, citada como presente ideal por 19,5% dos entrevistados pela Fecomercio-SP. Em seguida, aparecem blusas/camisetas (12,1%), flores (9,7%), perfumes e cosméticos (9,5%), calçados (8%), celulares (6,1%), CD/DVD (4,7%), eletroportátil (3,1%) e móveis (2,8%).

A sondagem da Fecomercio-SP, além de revelar uma nova tendência de consumo, prova que os filhos estão desinformados sobre as preferências das mulheres, e que presente barato também agrada.

O produto mais cotado entre as mães é o perfume, apontado por 10,5% delas, acompanhado de perto por calçados (9%), roupas (8,9%), celular (6,5%), bolsa (5,5%) e CD/DVD (5%). A geladeira é a 17º opção das mães, numa lista com 21 produtos, com apenas 1,5% da preferência.

A pesquisa de opinião indica ainda que a data contará com menos presentes no confronto com 2004. No entanto, o valor gasto em cada venda será mais elevado, principalmente em razão do crescimento da preferência por refrigeradores, mercadoria que desponta no topo da lista entre as mais caras. Cerca de 40% dos consumidores vão gastar mais de R$ 70 com o presente – 25,7% pretende gastar entre R$ 31 e R$ 50; 21,2%, de R$ 51 a R$ 70; de R$ 21 a R$ 30, 9,8%; de R$ 11 a R$ 20, 8,7%; e até R$ 10, 5,5%.

Enquanto os consumidores se preparam para gastar mais, o comércio se articula para aproveitar a boa maré e ampliar o faturamento. De acordo com a sondagem, 69,4% dos empresários varejistas estão neste ano com promoções mais agressivas em comparação a 2004. São sorteios, ofertas especiais, descontos e vendas parceladas sem juros. Tudo para seduzir os consumidores, segundo a pesquisa.

Os estoques também estão maiores, segundo a pesquisa da Fecomercio-SP: 47,9% das lojas dizem estar com estoques mais recheados neste ano; 35% afirmam que está igual; e 18,8% indicam queda. Não responderam à sondagem sobre esse assunto 8,2% dos comerciantes.

Pagamento – Além de gastar mais, a Fecomercio-SP garante que as pessoas têm pago mais à vista ou com cartões de crédito, modalidades mais seguras para o comércio, em razão dos menores riscos de calote. Cerca de 50% dos consumidores entrevistados afirmam que vão pagar o presente com cartões de crédito.   Pagamentos à vista deverão representar pouco mais de 14% do total enquanto cheques (pré-datados e à vista) serão apenas 4% das formas quitação. Outros meios de pagamento, como cartões próprios de loja e carnê, serão algo em torno de 33% da preferência.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mãe contraria filho e quer perfume no Dia das Mães

Hugo Cilo
Do Diário do Grande ABC

07/05/2005 | 14:17


No Dia das Mães deste ano, os filhos querem presentear com geladeiras, mas as mães preferem ganhar perfume ou cosméticos. A constatação está na última sondagem da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) sobre as tendências de consumo da segunda melhor data comercial do ano. O levantamento estima que o varejo vai vender mais 4% em comparação à mesma data do ano passado, na Grande São Paulo. Os números não consideram uma possível explosão de vendas de última hora, um fator não descartado pela entidade. Em 2003, as vendas caíram 8,7% em relação ao ano anterior. No ano passado, houve crescimento de 3,6%.

A geladeira lidera o ranking dos objetos que os filhos acreditam que suas mães querem, citada como presente ideal por 19,5% dos entrevistados pela Fecomercio-SP. Em seguida, aparecem blusas/camisetas (12,1%), flores (9,7%), perfumes e cosméticos (9,5%), calçados (8%), celulares (6,1%), CD/DVD (4,7%), eletroportátil (3,1%) e móveis (2,8%).

A sondagem da Fecomercio-SP, além de revelar uma nova tendência de consumo, prova que os filhos estão desinformados sobre as preferências das mulheres, e que presente barato também agrada.

O produto mais cotado entre as mães é o perfume, apontado por 10,5% delas, acompanhado de perto por calçados (9%), roupas (8,9%), celular (6,5%), bolsa (5,5%) e CD/DVD (5%). A geladeira é a 17º opção das mães, numa lista com 21 produtos, com apenas 1,5% da preferência.

A pesquisa de opinião indica ainda que a data contará com menos presentes no confronto com 2004. No entanto, o valor gasto em cada venda será mais elevado, principalmente em razão do crescimento da preferência por refrigeradores, mercadoria que desponta no topo da lista entre as mais caras. Cerca de 40% dos consumidores vão gastar mais de R$ 70 com o presente – 25,7% pretende gastar entre R$ 31 e R$ 50; 21,2%, de R$ 51 a R$ 70; de R$ 21 a R$ 30, 9,8%; de R$ 11 a R$ 20, 8,7%; e até R$ 10, 5,5%.

Enquanto os consumidores se preparam para gastar mais, o comércio se articula para aproveitar a boa maré e ampliar o faturamento. De acordo com a sondagem, 69,4% dos empresários varejistas estão neste ano com promoções mais agressivas em comparação a 2004. São sorteios, ofertas especiais, descontos e vendas parceladas sem juros. Tudo para seduzir os consumidores, segundo a pesquisa.

Os estoques também estão maiores, segundo a pesquisa da Fecomercio-SP: 47,9% das lojas dizem estar com estoques mais recheados neste ano; 35% afirmam que está igual; e 18,8% indicam queda. Não responderam à sondagem sobre esse assunto 8,2% dos comerciantes.

Pagamento – Além de gastar mais, a Fecomercio-SP garante que as pessoas têm pago mais à vista ou com cartões de crédito, modalidades mais seguras para o comércio, em razão dos menores riscos de calote. Cerca de 50% dos consumidores entrevistados afirmam que vão pagar o presente com cartões de crédito.   Pagamentos à vista deverão representar pouco mais de 14% do total enquanto cheques (pré-datados e à vista) serão apenas 4% das formas quitação. Outros meios de pagamento, como cartões próprios de loja e carnê, serão algo em torno de 33% da preferência.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;