Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Aécio pede para nacionalizar debate

Orlando Filho/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Presidenciável tucano questiona críticas feitas pela presidente às suas gestões em Minas Gerais


Júnior Carvalho Especial para o Diário

16/10/2014 | 07:00


Candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves reclamou das críticas que a presidente Dilma Rousseff (PT), que postula a reeleição, tem feito às suas gestões no governo de Minas Gerais (2003 a 2006 e 2007 a 2010). O tucano contrapôs os argumentos usados nas propagandas eleitorais da petista e pediu que o debate não fosse concentrado apenas em seu Estado. “Vamos falar de Brasil”, cobrou.

Um dia após participar do primeiro debate do segundo turno entre os presidenciáveis, promovido na noite de terça-feira pela Rede Bandeirantes, Aécio voltou a questionar pontos negativos citados por Dilma em relação às gestões tucanas em Minas. No horário eleitoral, a petista acusa o adversário de ter pago o pior piso salarial para os professores mineiros quando conduziu o Estado.

“Minas Gerais é o Estado que tem o maior número de municípios em todo o Brasil. Temos a melhor Educação Fundamental do Brasil. A presidente conhece muito pouco do Estado, onde apenas nasceu”, destacou o senador, que aproveitou o Dia dos Professores, lembrado ontem, e prometeu “valorização” dos educadores.

O tucano participou de ato com lideranças do PSDB de todo o Estado e de prefeitos paulistas que apoiam sua candidatura. O governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o senador eleito José Serra (PSDB) participaram do evento, realizado em clube na Zona Norte da Capital. O secretário paulista de Esporte, Lazer e Juventude, José Auricchio Júnior (PTB), os deputados

Orlando Morando (PSDB) e Alex Manente (PPS) e o prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), também estavam no ato.

Em curta entrevista, Aécio prometeu universalizar o Ensino Infantil. “Vamos fundar a nova escola brasileira. Escola do ponto de vista físico adequada, com equipamentos adequados, com os professores valorizados e capacitados e, principalmente, fazer a flexibilização dos currículos do Ensino Médio, adaptando-os às várias realidades de um Brasil tão plural, tão diferente como o nosso”, frisou.

FAIXA NO PEITO

Antes de discursar para auditório lotado de lideranças do PSDB e de outros partidos que endossam sua candidatura, Aécio assinou termo de compromisso com a Fundação Abrinq para garantir direitos das crianças e dos adolescentes caso seja eleito. O tucano vestiu simulação de faixa presidencial entregue por dirigentes da instituição e posou para fotos.
Chamado de presidente por alguns aliados, o ex-governador pediu que tucanos “remem nestes últimos dias de campanha”. “Estamos próximo da libertação”, exclamou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aécio pede para nacionalizar debate

Presidenciável tucano questiona críticas feitas pela presidente às suas gestões em Minas Gerais

Júnior Carvalho Especial para o Diário

16/10/2014 | 07:00


Candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves reclamou das críticas que a presidente Dilma Rousseff (PT), que postula a reeleição, tem feito às suas gestões no governo de Minas Gerais (2003 a 2006 e 2007 a 2010). O tucano contrapôs os argumentos usados nas propagandas eleitorais da petista e pediu que o debate não fosse concentrado apenas em seu Estado. “Vamos falar de Brasil”, cobrou.

Um dia após participar do primeiro debate do segundo turno entre os presidenciáveis, promovido na noite de terça-feira pela Rede Bandeirantes, Aécio voltou a questionar pontos negativos citados por Dilma em relação às gestões tucanas em Minas. No horário eleitoral, a petista acusa o adversário de ter pago o pior piso salarial para os professores mineiros quando conduziu o Estado.

“Minas Gerais é o Estado que tem o maior número de municípios em todo o Brasil. Temos a melhor Educação Fundamental do Brasil. A presidente conhece muito pouco do Estado, onde apenas nasceu”, destacou o senador, que aproveitou o Dia dos Professores, lembrado ontem, e prometeu “valorização” dos educadores.

O tucano participou de ato com lideranças do PSDB de todo o Estado e de prefeitos paulistas que apoiam sua candidatura. O governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o senador eleito José Serra (PSDB) participaram do evento, realizado em clube na Zona Norte da Capital. O secretário paulista de Esporte, Lazer e Juventude, José Auricchio Júnior (PTB), os deputados

Orlando Morando (PSDB) e Alex Manente (PPS) e o prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), também estavam no ato.

Em curta entrevista, Aécio prometeu universalizar o Ensino Infantil. “Vamos fundar a nova escola brasileira. Escola do ponto de vista físico adequada, com equipamentos adequados, com os professores valorizados e capacitados e, principalmente, fazer a flexibilização dos currículos do Ensino Médio, adaptando-os às várias realidades de um Brasil tão plural, tão diferente como o nosso”, frisou.

FAIXA NO PEITO

Antes de discursar para auditório lotado de lideranças do PSDB e de outros partidos que endossam sua candidatura, Aécio assinou termo de compromisso com a Fundação Abrinq para garantir direitos das crianças e dos adolescentes caso seja eleito. O tucano vestiu simulação de faixa presidencial entregue por dirigentes da instituição e posou para fotos.
Chamado de presidente por alguns aliados, o ex-governador pediu que tucanos “remem nestes últimos dias de campanha”. “Estamos próximo da libertação”, exclamou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;