Início
Clube
Banca
Colunista
Redes Sociais
DGABC

Domingo, 26 de Maio de 2024

Setecidades
>
Vencedor Atacadista
Empresa de Orlando Morando é dona de imóvel cujo teto caiu

Prefeito é proprietário do terreno desde 2019; acidente de segunda no supermercado Vencedor Atacadista, em Diadema, deixou 15 feridos

Thainá Lana
18/04/2024 | 08:05
Compartilhar notícia
FOTO: Celso Luiz/DGABC


A OAC Participações Ltda, empresa que tem como sócios o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), e o assistente parlamentar José Carlos Vinturini, é proprietária do imóvel cuja parte do telhado desabou, em Diadema. O acidente ocorreu na segunda-feira (15) na unidade Vencedor Atacadista, na Avenida Casa Grande, no Jardim Portinari, e deixou 15 feridos.

O chefe do Executivo é proprietário do terreno desde julho de 2019, quando adquiriu a propriedade juntamente com a sua esposa, a deputada estadual Carla Morando (PSDB). Em março de 2020, o imóvel foi transferido por R$ 300 mil para a empresa Ponto Bom Participações Ltda, hoje com o nome de OAC Participações Ltda.

Em julho de 2021, a propriedade teve o seu registro alterado. Na Junta Comercial a empresa tem como objeto a gestão e administração da propriedade, com capital de R$ 955 mil, e sede no bairro do Ipiranga, na Capital.

A empresa do prefeito, dona do imóvel onde funciona o Vencedor Atacadista, já foi ré por enriquecimento ilícito. Em 2021, o Ministério Público ajuizou ação civil pública contra a OAC alegando que, em dezembro de 2016, a Prefeitura decidiu pagar com sobrepreço por parte área que pertencia à OAC Participações – a Promotoria cobrou a devolução de R$ 775,7 mil dos R$ 1.018.064,65 pagos pela administração.

Em novembro do ano passado, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) rejeitou o recurso do Ministério Público e avaliou que a OAC Participações não precisa ressarcir os cofres públicos por receber indenização em desapropriação milionária de terreno na Estrada dos Alvarengas para passagem do Corredor Alvarenga.

O Diário não conseguiu contato com a OAC Participações para esclarecer sobre o imóvel. Porém, em live realizada na noite de ontem nas redes sociais, o prefeito Orlando Morando falou sobre o assunto, após ser questionado por uma usuária. “Não foi em São Bernardo, foi em Diadema, então, lamento o ocorrido. Vi também que teve um incêndio em um supermercado em Santo André, mas felizmente não foi na nossa cidade”, disse o chefe do Executivo.

DESABAMENTO

Segundo relatos, os funcionários do Vencedor Atacadista teriam realizado manutenção no telhado na segunda-feira pela manhã, horas antes do acidente – o desabamento ocorreu por volta das 16h20, após forte chuva no município.

Até o fechamento desta edição, o mercado atacadista e a OAC Participações não responderam quem era o responsável pela reforma na unidade. A Polícia Civil investiga se a intervenção e a chuva podem ter influenciado no desabamento.

A Polícia Técnico-Científica realizou na terça-feira (16) a perícia no supermercado. Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), os laudos estão em elaboração e, quando finalizados, serão analisados pela autoridade policial. O caso foi registrado como lesão corporal e desabamento ou desmoronamento no 2º DP (Distrito Policial) de Diadema, onde é investigado.

Das 15 vítimas, 12 foram atendidas em serviços de saúde de Diadema, sendo que uma foi transferida para hospital do convênio médico e a última pessoa que estava hospitalizada recebeu alta ontem, segundo informou a Prefeitura. As demais tiveram alta. Já outras duas foram encaminhadas para São Bernardo, e outra se recusou a ser levada pelo serviço de saúde.

O local segue interditado pela Defesa Civil de Diadema. Os responsáveis pelo supermercado ainda realizam a limpeza e remoção dos materiais.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.