Início
Clube
Banca
Colunista
Redes Sociais
DGABC

Sexta-Feira, 24 de Maio de 2024

Política
>
MINISTÉRIO PÚBLICO
São Paulo define novo procurador-geral de Justiça

Paulo Sérgio de Oliveira e Costa é o selecionado entre 3 nomes pelo governador Tarcísio de Freitas

Wilson Guardia
14/04/2024 | 16:29
Compartilhar notícia
Foto:Divulgação/MPSP


O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), nomeou, ontem, Paulo Sérgio de Oliveira Costa como procurador-geral de Justiça. O cargo de chefia no Ministério Público será ocupado no biênio 2024/2026. Oliveira Costa tomará posse durante a semana. A decisão deve constar na edição desta segunda-feira (15) do Diário Oficial.

A decisão foi tomada assim que o chefe do Executivo recebeu a lista tríplice com os indicados pelos membros do Ministério Público de São Paulo. Tarcísio recebeu o documento, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Oliveira Costa foi o terceiro colocado em votação dos membros do MP. Além dele, compunham a lista os procuradores José Carlos Cosenzo e Antonio Carlos da Ponte.

Ao todo 2.000 promotores e procuradores participaram da votação, que começou às 9h e foi encerrada às 17h de sábado. Consenzo foi o mais votado com 1.004 votos, Ponte foi a escolha de 987 membros e Oliveira Costa de 731. Tereza Exner (508) e José Carlos Bolinha (467) também foram votados, mas ficaram de fora da lista, que considera os três primeiros colocados.

Interlocutores do governo justificaram a escolha de Tarcísio. Oliveira Costa tem longa trajetória na Justiça paulista. Ingressou no MP em 1986, além de ter comandado a Escola do Ministério Público.

O procurador-geral, recém-nomeado, era próximo de Mario Sarrubbo, que deixou a chefia do MPSP em março para assumir a Secretaria de Segurança Pública do Ministério da Justiça.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.