Setecidades

Na região, 400 pessoas foram para o fim da fila



O número de ‘sommeliers de vacina’ que foram remanejados para o fim da fila da imunização contra a Covid-19 em São Bernardo e São Caetano foi de 400 pessoas. Na região, somente as duas cidades adotaram a medida a fim de evitar a evasão das pessoas no momento em que descobriam qual era o fabricante do fármaco à disposição nos postos de vacinação.

Dentre as duas cidades, São Caetano é o município em que mais moradores se recusaram a se vacinar quando descobriram o produtor do imunizante. Foram 231 pessoas que assinaram termo de recusa e que foram remanejados para o fim da fila. Conforme informou a Prefeitura, 95% destes munícipes já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid com o fim da campanha entre os adultos, ou seja, 219 pessoas.

Já em São Bernardo o número de ‘sommeliers de vacina’ chegou a 169, desde o dia 1º de julho, quando a medida foi adotada pelo Executivo. Desse total, 62 pessoas já foram imunizadas com a primeira dose, as outras ainda aguardam disponibilidade.

A estratégia ajudou a cunhar termo que caiu na graça dos cidadãos, principalmente em brincadeiras na internet que passaram a chamar estas pessoas de ‘sommeliers de vacina’. Sommeliers são profissionais que trabalham degustando vinhos e cafés, por exemplo, para saber qual deles é o melhor.

De início, a medida adotada por São Bernardo e São Caetano causou polêmica, mas as administrações alegaram que a ação era cabível para que não atrasasse o programa de vacinação nos municípios. Estes ‘sommeliers da vacina’ só puderam receber o imunizante assim que os municípios acabassem de vacinar as pessoas com 18 anos ou mais, o que aconteceu recentemente.

Antes da estratégia, por exemplo, 635 pessoas se recusaram a se vacinar, em São Caetano, até julho desse ano. Após a medida entrar em vigor, esse número despencou e, por dia, a quantidade de pessoas que assinavam o termo de responsabilidade não passava dos dez. Em São Bernardo, 320 moradores tentaram escolher o fabricante da vacina antes da medida entrar em vigor, em julho.

A iniciativa das duas cidades veio antes que a Capital, que também adotou a medida com intenção de barrar a escolha do imunizante por parte das pessoas que aguardavam na vila de vacinação.

O prefeito de São Paul, Ricardo Nunes (MDB), elaborou decreto no dia 27 de julho. Até o início de agosto, 445 pessoas tinham escolhido ir para o fim da fila a ter que tomar o fármaco disponível no momento.

MESMA VACINA

Nem todos os ‘sommeliers da vacina’ de São Bernardo conseguiram escapar de tomar o imunizante que não queriam. De acordo com a a Prefeitura, dos 169 moradores que assinaram termo de responsabilidade e que foram remanejados para o fim da fila, 17 deles tiveram que aceitar o mesmo fármaco recusado no momento da imunização da sua faixa etária. 

Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários


Veja Também



Voltar