Palavra do Leitor

Dia 12: Fora, Bolsonaro! Vou. E você?




Dia 12, nós, do MBL convidamos pessoas de todos os cantos do País para irem às ruas pedir impeachment do autoproclamado ‘mito’. E quero chamar todos do Grande ABC que também rejeitam o desastroso governo Bolsonaro a participar do ato. Nosso presidente é aspirante a autocrata, responsável, por omissão ou corrupção, pela morte evitável de milhares de brasileiros em sequência de galhofas que fizeram o País se degradar durante seu mandato. Para qualquer lado que se olhe, surgem indicadores de retrocesso na economia, educação, saúde e meio ambiente, para citar os principais. Escapar das garras do presidente é urgente. Além do aspecto moral, Bolsonaro não tem nem ideia de como gerir a economia. O dólar alto e o descontrole das contas públicas aumentam inflação e pobreza, mas o presidente ignora esses fatos. O Brasil está com a imagem degradada. Isso se reflete no aumento da taxa de juros, câmbio e na fuga de capitais do País, pois o investidor estrangeiro, desconfiado e temeroso, conclui que o Brasil não é País sério. Conclusão natural, uma vez que as instituições são reiteradamente colocadas em xeque pelo mandatário máximo.

Vivemos desemprego recorde, juros crescente, consumo estrangulado, terrível crise hídrica que afeta a oferta de energia, agravada pelo desmatamento, queimadas e desmonte dos órgãos ambientais, temas alheios à agenda presidencial. Qual é o foco? Gerar polêmicas para manter cortina de fumaça sobre suspeitas de corrupção. Responsável por sepultar a <CF51>Lava Jato</CF>, que antes da eleição dizia defender, sente-se acuado pela mesma Justiça que prendeu seus adversários esquerdistas e investiga a turma do Centrão. As denúncias surgem em lugares cada vez mais diversos e em número cada vez maior. É evidente que futuro promissor para o Brasil passa longe da velha política. Não acreditamos que Lula ou Bolsonaro sejam capazes de levar o Brasil adiante. Enquanto não surge projeto de governo viável que equilibre os descalabros à esquerda e à direita, vamos lutar para destituir este presidente, que enganou grande parte da sociedade brasileira, inclusive nós, os liberais, ao acenar com ministro intelectualmente comprometido com esses valores, mas que só se importa em se manter no cargo e agradar ao ‘capitão’.

Antes que seus seguidores mais afoitos digam que ser contra Bolsonaro é ser petista, comunista, ou seja lá qual for o adjetivo bovídeo atrelado ao adversário político, antecipo: repudio com muita veemência a volta do PT ao governo, uma vez que o MBL foi um dos principais agentes de mudança ao defenestrar Dilma do poder. Não queremos ver o esforço de anos contra o autoritarismo petista ser substituído pelo autoritarismo bolsonarista. Nosso compromisso indelével é com o País.

Glauco Braido é empresário e vereador (PSD) em São Bernardo.

Paul Harris

Saudações. Eu e minha família somos assinantes do <CF52>Diário</CF> há décadas. E ainda ficamos aflitos quando o jornal não chega. Agradecemos a versão impressa. Minha mãe, hoje com 85 anos, ainda leitora diária, trabalhou a vida toda na rede de bibliotecas municipais – com o hiato de quando trabalhou na FEC (Faculdade de Educação e Cultura, também na biblioteca) –, e a maior parte na hemeroteca, na sessão de recortes de jornais, revistas, impressos. Ela é frequentadora da APL (Academia Popular de Letras), que se reúne prioritariamente na Biblioteca Paul Harris, mas também em outros locais. A biblioteca é ambiente delicado, num prédio que muito precisa de melhorias. Um prédio construído e habitado pela biblioteca, que só merecia, pelos anos de bom trabalho, ser melhorado, ter seu auditório liberado. Os artistas da região deveriam ter sensibilidade de o quanto é difícil formar público, manter, melhorar, ter esperanças – e até lutar – pela qualidade do que é oferecido a esse público. A Prefeitura de São Caetano deveria ter sensibilidade e não destruir, decidir, mudar, enganar, entristecer. Não é uma mudança. É uma brutalidade, uma violência, uma desvalorização do trabalho alheio.

Nilton Jorge
São Bernardo

Defesa da democracia

Leio um pouco surpreso pequena nota publicada por este valoroso e democrático Diário (Política, dia 3 de setembro), noticiando que empresários, STF (Supremo Tribunal Federal) e Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, fazem defesa da democracia. Até aí tudo bem, porque o Brasil é um País democrático, conforme reza em sua Carta Magna. A matéria diz respeito às manifestações do dia 7 de setembro em vários centros urbanos. Só que estranhei o texto citar que o povo vem sendo convocado pelo presidente Jair Bolsonaro. Tenho acompanhado seus depoimentos e entrevistas nas redes sociais e nunca vi nem ouvi o chefe da Nação convocar a população. Ele, como democrata que faz questão de afirmar, diz que essas manifestações são iniciativas do povo. O que me deixa pasmo é ver a posição de empresários mineiros ao afirmar que “a ruptura pelas armas, pela confrontação física nas ruas, é sinônimo de anarquia”. Eles deveriam rever imagens nas redes sociais e constatar que, até agora, não ocorreu manifestação violenta. Outra parte da reportagem que não entendi foi a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) afirmar que a “Praça é dos Três Poderes”. Ora senhores banqueiros, em Brasília existe essa praça. Só que a área ocupada por ela é pública. Então, praças, avenidas, ruas são públicas e podem sim serem utilizadas pela população.

Arlindo LigeirinhoRibeiro
Diadema

Domingo com Huck

Assistindo o Domingão com Huck, em seu primeiro programa substituindo o Faustão, foi destaque o detalhe sobre os anunciantes. O patrocinador máster é o Magazine Luiza, que atua com marketplace (shopping virtual), parceiro de longa data da emissora, que, sem senso de ética, durante o espaço do magazine insere propagandas de Casas Bahia e do Mercado Livre, concorrentes atuantes na mesma área comercial, num contrassenso desrespeitoso à patrocinadora máster.

Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha (ES)

Planalto e 7 de Setembro 

Mesmo que amanhã (hoje) as manifestações sejam pacíficas, Jair Bolsonaro, além das nossas instituições, afronta também o dia 7 de Setembro, uma das datas históricas mais importantes da Nação! Descarado, rampeiro, e sem respeito algum ao povo brasileiro, o presidente usa esta data da Independência do Brasil para suas literais maluquices como comandante do País. E, como pior presidente da República, infelizmente, não mede esforços para prejudicar a Nação.

Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Arthur Lira

Depois das ameaças, nada veladas, do presidente Jair Bolsonaro aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), o que mais o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL ), está esperando para colocar um dos 126 pedidos de impeachment na pauta? Ou sua pauta é apenas aquela dos seus interesses?

Tania Tavares
Capital

Inaceitável

O recente pronunciamentodo presidente ameaçando possível golpe e uma pressão aos ministros do STF é um procedimento inaceitável. É um comportamento inadequado a ser adotado por ele e seus aliados na comemoração da nossa Independência. O dia 7 de setembro não pode servir como palanque político eleitoral.

Uriel Villas Boas
Santos (SP)

Comentários


Veja Também



Voltar