Palavra do Leitor

Tecnologia que reinventa gestão




Toda a experiência que um time de profissionais tem dentro da empresa está cada vez mais ligada à qualidade da relação entre companhia versus pessoas que nela trabalham. Por este motivo, o tema gestão de benefícios ganha cada vez mais força na atualidade. A pandemia em razão da Covid-19 também impulsionou esse assunto, uma vez que o distanciamento físico se fez necessário e, com ele, a implantação do home-office se tornou um pouco mais comum. Foi nesse momento que muitas empresas tiveram de refletir e revisar o que era benefício realmente para o seu público interno, pois os ‘auxílios’ para deslocamento ou alimentação já não estavam sendo utilizados em razão do trabalho remoto. Nesse sentido, o que mais promover para auxiliar a vida do meu colaborador?

Uma nova realidade – a verdade é que o auxílio flexível para o colaborador veio para ficar. Uma vez que todo esse cuidado das empresas com os seus colaboradores já vem sendo pauta de muitas empresas há alguns anos, e hoje ganha ainda mais espaço em todo o mercado. Mas, dependendo da atividade da empresa e do exercício do profissional, a questão ‘o que é benefício?’ pode ser muito relativa. É por esta razão que hoje soluções de gestão como o ERP (sistema integrado de gestão), por exemplo, precisam estar disponíveis em plataforma capaz de aderir de forma simples e eficaz as diversas gestões de benefícios . Se hoje a empresa possui cliente de varejo e, por esta razão, deseja incluir os serviços desta empresa como benefício para os seus colaboradores, a pergunta é: por que não? Benefício flexível significa oferecer para o colaborador a liberdade de decidir o que é benefício para ele. Algo que parte do princípio que lidamos com pessoas, com personalidades e estilos de vida diferentes. Sim, vivemos a era da liberdade e escolha, algo que a tecnologia está viabilizando para as companhias de todos os perfis e tamanhos.

Retenção de talentos – viabilizar tecnologia fácil e pronta para aderir diversos tipos de benefícios é positiva para os colaboradores e também para a empresa. Com mercado de trabalho cada vez mais competitivo e atento aos melhores talentos, trazer a melhor oferta em benefícios pode abrilhantar os olhos e auxiliar de forma significativa o trabalho da área de recursos humanos. Para acompanhar todo esse movimento proporcionado pela tecnologia é importante que as empresas não apenas invistam em soluções de gestão, mas que também tenham conhecimento de até onde essas inovações podem abrir novos caminhos. Essa atenção pode impactar a experiência do colaborador na sua empresa e, consequentemente, os resultados do seu negócio.

Jean Paul Vieira é diretor de marketing e produto na empresa Senior Sistemas.

PALAVRA DO LEITOR

Escritores

Concordo com a opinião do amigo e colega escritor Cláudio Feldman, autor de mais de 40 livros, que em entrevista a este, na reportagem publicada ontem (Política, página 3) com o título “Protesto tenta impedir governo Tite de mudar local de biblioteca”, assinada pelo jornalista Fábio Martins, quando alega que “a situação não pesa apenas para São Caetano”, pois moramos em Santo André e já fizemos lançamentos de livros na Biblioteca Paul Harris. Além disso, nesse local também se reúne com frequência o grupo da Academia Popular de Letras, com a participação de vários escritores de outras cidades do Grande ABC e até de São Paulo. Esses são alguns dos motivos que escritores e leitores são contra a mudança da Biblioteca Paul Harris para um local menor, sem salas de leitura e de um auditório de 55 lugares para realização de palestras e outros eventos.

Hildebrando Pafundi

Santo André

Covid

O saudoso Cláudio Lembo, na década de 70, dizia que no jornalismo existia regrinha que dizia: ‘Se o delegado prender o bandido não é notícia, mas se o bandido prender o delegado, então é notícia’. Faço essa citação porque me parece que essa regra continua vigorando na nossa mídia. E, lamentavelmente, este não fica atrás se atentarmos para seus noticiários a respeito dessa doença, se preocupando mais em noticiar o número de mortes e pessoas contaminadas, deixando para segundo plano ou até mesmo se omitindo quanto ao número de pessoas infectadas que se salvaram, depois de passarem dias e meses internadas em hospitais, muitas delas em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Sairem ilesas dessa pandemia é tão importante que pessoas, ao receberem a primeira dose da vacina, chegam a comemorar. É motivo de festa. Imaginem, então, as famílias que estiveram prestes a perder ente querido vê-lo voltar para casa são e salvo.

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Energia cara

Lá se vão duas décadas do apagão de FHC e nada de projetos sérios para melhorar e ampliar o sistema energético nacional. Muito pouco se fez em 20 anos. Na verdade, não interessa fazer para alguns setores. Proprietários de termelétricas, que liberam gases poluentes na atmosfera, além de ser energia mais cara e com recursos finitos, tem lobby fortíssimo em Brasília que impede a discussão e o avanço na captação de energia mais barata, renovável e menos poluente como a eólica e solar, que deveriam ser mais exploradas devido sua abundância em solo nacional. Eles vibram com a falta de chuva e, sem muito esforço, lucram bilhões com dinheiro pago pelo povo. Vários governos já se passaram desde 2001 e nenhum se preocupou com este fator primordial para o crescimento da economia, força motriz para o desenvolvimento do País. Não podemos ficar na dependência de São Pedro eternamente, até porque, complicamos a vida dele com cada vez menos árvores e florestas, essenciais para formação de chuvas. Se quisermos dias melhores, este tema precisa ser debatido seriamente, e para ontem.

Mauri Fontes

Santo André

Resposta

Em atenção à carta da deputada estadual Márcia Lia, publicada nesta Palavra do Leito (Opinião, ontem), a SSP (Secretaria da Segurança Pública) esclarece que tem investido na capacitação dos policiais, na expansão das unidades e na aquisição de armas de última geração. Desde 2019, mais de 10 mil policiais já foram contratados e 4.237 estão em formação nas respectivas academias. Além destes, está em andamento concurso para a contratação de 2.700 soldados e autorizadas mais 2.750 vagas para a Polícia Civil e 189 para a SPTC (Superintendência de Polícia Técnico-Científica). Crimes como os roubos a banco e explosões de caixas eletrônicos estão em queda há mais de uma década em São Paulo. Considerando só o intervalo dos últimos 10 anos, a redução desses indicadores chega a 92,18% e 98%, respectivamente. Somente nos primeiros sete meses deste ano, 46 criminosos envolvidos com a prática de roubo a banco foram presos, alta de 142% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, os casos análogos ao de Araçatuba, ocorridos em Ourinhos, Botucatu e Araraquara, foram esclarecidos e resultaram na prisão de 27 criminosos e no indiciamento de outras 12 pessoas.

Secretaria de Segurança Pública

Comentários


Veja Também



Voltar