Tecnologia

Caso Lojas Renner: o que aconteceu e como se prevenir digitalmente




Ontem (19), a Lojas Renner teve seu sistema de dados atacado por hackers, deixando site e aplicativo da varejista fora do ar. O golpe cibernético aconteceu através de um ransomware – software usado por criminosos para sequestrar dados de uma empresa e extorquir a vítima por meio de um pedido de resgate.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

O processo de sequestro digital acontece da seguinte forma: hackers usam um software para reter informações e criptografam os dados em uma chave de acesso única. Assim, a empresa – como a Lojas Renner – fica refém dos criminosos para ter acesso a essas informações novamente.

O valor do resgate, geralmente, é pedido em criptomoedas, já que dessa forma não há como fazer o rastreamento da transação. Esse tipo de golpe está se tornando cada vez mais comum no Brasil. Segundo dados da Sonic Wall, o aumento foi de 62% em 2020, quando comparado ao ano anterior.

Leia mais:
Catflix: plataforma de streaming para gatos distrai bichanos em frente à TV
10 filmes e séries de zumbis para assistir no streaming

Lojas Renner: como se proteger

Para se proteger, algumas dicas podem ser úteis. Reforçar alguns pontos e investimentos que precisam de atenção podem garantir um site seguro para a empresa e para o cliente.

O primeiro deles é o SSL. Ele é um certificado digital que faz toda a autenticidade da identidade de um site e possibilita uma conexão criptografada. Isso significa uma camada mais segura da plataforma e pode ser conferida por meio de um cadeado pequeno no canto superior esquerdo da tela.

Ter uma plataforma segura não é uma garantia para evitar crimes cibernéticos – mas ajuda muito.

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, escreva para  e suas questões podem ser respondidas

“Por vezes o lojista opta por uma plataforma gratuita ou com valor muito baixo e a escolha pode colocar em risco todos os dados da empresa e dos clientes”, diz De acordo com o especialista, Jonathan Cardoso, da Wave Commerce. “Por isso, é importante ter muito cuidado na tomada de decisão. A plataforma garante ainda uma outra etapa importante, a de backup dos dados.”

Os sistemas anti-fraudes são parte importante no processo de segurança do e-commerce. “O cliente deve comprar em sites confiáveis – e para confirmar essas informações basta acessar o rodapé deles e observar os certificados que possuem”, explica. “Já em relação a segurança para o lojista, o ponto de maior atenção é contratar empresas especializadas no segmento antifraude.”

Além da Lojas Renner, outras empresas também já foram atacadas por ransomwares. A JBS sofreu ataques que impactaram de forma internacional seus serviços e tiveram de pagar US$11 milhões aos hackers para ter os dados resgatados.

 

Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários


Veja Também



Voltar