Política

CPI da Covid encerra depoimento de advogado da Precisa, após torná-lo investigado



A CPI da Covid encerrou a oitiva do advogado da Precisa Medicamentos, Túlio Silveira. O depoente foi à CPI nesta quarta-feira (18) na condição de testemunha, mas saiu da comissão integrando a lista de investigados.

A decisão inicialmente partiu do relator, Renan Calheiros (MDB-AL), e depois foi chancelada pelo colegiado da CPI, que também aprovou incluir o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), nessa lista.

Para justificar a decisão sobre Silveira, Renan afirmou que o "silêncio constrangedor do depoente" - como classificou - "ecoava indícios de participação em prováveis negociações". Alegando respeito ao sigilo profissional de sua relação de advogado da Precisa, Silveira não respondeu perguntas sobre o processo de compra pelo governo federal da vacina indiana Covaxin, intermediada pela Precisa.

"Meu cliente goza do princípio da presunção da inocência, e repudia qualquer acusação de imputação que seja feita a ele neste momento", declarou o defensor de Silveira, Eduardo de Vilhena Toledo, ao fim do depoimento.

Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários


Veja Também



Voltar