Política

Siraque se desfilia do PCdoB em Santo André




O ex-deputado federal Vanderlei Siraque formalizou desligamento do PCdoB. O político protocolou pedido para desfiliação do partido junto à presidência da sigla em Santo André e também no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O ex-parlamentar construiu a vida política no PT, mas, em 2015, saiu da legenda com série de críticas ao petismo, em especial por falta de espaço partidário. Migrou às fileiras comunistas na sequência, por onde saiu candidato a vereador e deputado. No ano passado, fracassou no projeto para retornar ao Legislativo municipal.

Apesar da decisão de oficializar a saída, Siraque evitou avaliar qual seu futuro político. “Estou pensando, refletindo sobre a conjuntura, a minha história e a minha coerência intelectual e política”, pontuou o ex-deputado. “Mas não serei candidato nesta eleição (de 2022)”, emendou. Seu nome é comentado para regressar ao PT, mas, de fato, não necessariamente para pleitear cargo eletivo. Essa função deve ficar sob responsabilidade de sua mulher, a ex-vereadora e ex-prefeiturável Bete Siraque. Bete deve buscar cadeira na Assembleia Legislativa no ano que vem.

“Posso contribuir de outras maneiras. Sobre a Bete ser candidata, isso compete ao PT, é discussão do partido, não familiar. Tenho acompanhado as discussões, e apoiarei qualquer decisão em relação a Bete. Essa situação não vincula filiação ou não (ao PT). Até porque, como não serei candidato, não precisa pressa de estar filiado a partido político no momento. Posso me filiar, futuramente, evidentemente no campo da esquerda, só que não tenho plano partidário. Quero cuidar da parte profissional, embora não seja incompatível”, pontuou o ex-deputado.

Siraque acumula sete mandatos, praticamente consecutivos, desde vereador em três mandatos, ocasião em que foi presidente da Câmara andreense, deputado estadual por outras três vezes e deputado federal – foram 26 anos ocupando postos eletivos. Em 2008, foi o candidato do petismo à Prefeitura e perdeu no histórico segundo turno contra Aidan Ravin (à época no PTB, morto em janeiro). Após hiato, em 2020, o ex-parlamentar obteve 1.059 votos por vaga ao Legislativo. No pleito, Bete postulou cargo de prefeita, registrando 25,4 mil sufrágios (7,35% dos válidos).

ECLÉTICO
Apesar da estadia no PCdoB, o ex-parlamentar reiterou que deixa o partido por questões de linha de pensamento político. “Fui bem acolhido, tenho boa relação com a cúpula (da sigla), como (o deputado federal) Orlando Silva, não tive problemas internos, mas sou socialista, não comunista. Sou mais eclético do ponto de vista ideológico. Tenho origem cristã, católica. Não comungo com algumas ideias, embora respeito muito as lideranças”, disse Siraque.

Comentários


Veja Também



Voltar