Política

Doria critica negacionismo durante reinauguração do Museu da Língua Portuguesa



O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reabriu o Museu da Língua Portuguesa neste sábado, 31. A cerimônia teve participação dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB), além da presença dos presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.

Doria destacou a reabertura do espaço em meio à pandemia e defendeu a democracia e a ciência. "Há duas semanas, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa incorporou mil novas entradas. Entre as novas palavras estão erros e problemas do presente: negacionismo ou pós-verdade, por exemplo. Para elas, a língua portuguesa tem os seus antídotos, suas vacinas, palavras que estão aqui há tempos: ciência, fatos, transparência, trabalho. E eu citaria, com muita ênfase: democracia, honestidade, respeito e liberdade", disse.

Na cerimônia, o presidente de Portugal condecorou o Museu da Língua Portuguesa com a Ordem de Camões, uma honraria destinada a pessoas ou instituições que prestem serviços relevantes à língua portuguesa. Os ex-presidentes brasileiros foram cordiais, sem declarações políticas.

Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários


Veja Também



Voltar