Cena Política

Cobrança de Volpi via WhatsApp




O clima esquentou no grupo de WhatsApp que os prefeitos do Grande ABC mantêm, para tratamento de demandas regionais via Consórcio Intermunicipal. O prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PL), encaminhou reportagem desde Diário que mostrou que Gilmar Miranda, político de Rio Grande da Serra e assessor da deputada estadual Carla Morando (PSDB), teria arquitetado plano para difamar Volpi, com citação de decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) para cassar seu diploma. Marido de Carla, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), não gostou nada do que interpretou como acusação de Volpi. Bateu boca com o chefe do Executivo pelo grupo, enquanto os demais políticos assistiam à troca de farpas sem entrar na discussão. Morando tem em Ribeirão o ex-prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB) como aliado principal – tanto que trouxe Kiko para ser seu secretário diante do revés do pleito de novembro.

Plano B
O grupo do ex-prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB), de Ribeirão Pires, celebrou muito a decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) em cassar o diploma de seu sucessor, Clóvis Volpi (PL). O problema é que esse grupo de dissipou pós-pleito, principalmente depois que Kiko decidiu ser secretário de Administração de São Bernardo. Na tentativa de reaglutinar o bloco, Kiko tem enviado recados de que, se houver outro pleito, ele apostará em sua mulher, Flávia Dotto (PSDB), como candidata, evitando, assim, que o embaraço jurídico em torno de sua candidatura fosse ressuscitado.

Nova filiação
Ainda em Ribeirão Pires, o ex-vice-prefeito Gabriel Roncon ironizou a destituição da direção do PTB na cidade, patrocinada pelo presidente nacional da legenda, o ex-deputado federal Roberto Jefferson. Ele citou estar filiado ao Cidadania desde o dia 28 de janeiro. “O PTB está atrasado ou desorganizado? Não estou mais filiado ao PTB. Será que só descobriram agora? Que desorganização é essa?”, disparou Roncon, que foi ao Cidadania pelas mãos do deputado federal Alex Manente (Cidadania), de São Bernardo.

Conta-gotas
O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), busca pacificar a relação com a base de sustentação, mas as conversas têm jogado gasolina em vez de água na fogueira. O tucano vem dialogando particularmente com os vereadores e propondo espaço no governo, porém, em funções sem destaque, contrariando o que havia sido firmado nas vésperas do recesso – à época, a bancada de sustentação ameaçava aprovar requerimentos indigestos ao governo e recuou diante de promessa de melhora na relação.

Foco de polêmica – 1
O empresário Marcos Tolentino, conhecido por ser proprietário de emissora de TV em Curitiba, teve seu nome envolvido na polêmica da compra da vacina indiana Covaxin, ao ser apontado pelo jornal Folha de S.Paulo como sócio oculto de uma empresa que teria fornecido garantia irregular na negociação com o governo federal.

Foco de polêmica – 2
Tolentino tem relação com o Grande ABC, e também em uma polêmica. Empresa ligada a ele comprou a sede física do tradicional Restaurante São Judas Tadeu, na Rota do Frango com Polenta, em São Bernardo, em negócio que não avançou e foi parar na Justiça. A família Demarchj, proprietária do estabelecimento, diz que Tolentino foi quem intermediou a compra e que não foi efetuado o pagamento da transação.

Unanimidade
A medalha de prata conquistada pela skatista Rayssa Leal nos Jogos de Tóquio conseguiu feito quase inédito no Grande ABC: uniu a classe política. Praticamente todos eles postaram nas redes sociais mensagens elogiando o feito da atleta de 13 anos, que foi a mais jovem medalhista brasileira da história olímpica.  

Comentários


Veja Também



Voltar