Setecidades

1996 Tortorello e Gilson, oposição, mas nem tanto.




 ELEIÇÃO 37 – 2

“Onde a administração foi aprovada pela população, como São Caetano e Diadema, o eleitor reconheceu este fato e votou inequivocamente pela continuidade administrativa. 

“Em Diadema, o candidato de oposição era o sr. José Augusto. Sua derrota foi a vitória do prefeito José de Filippi Jr, embora sejam ambos do mesmo partido. Não por acaso o prefeito eleito, sr. Gilson Menezes, afirmou que pretende governar com o apoio da atual gestão.

“A mesma análise vale para São Caetano, onde o prefeito Antonio Dall’Anese apresenta ótimos índices de popularidade e o sr. Luiz Tortorello fez uma campanha sem ataques à administração.”

Cf. Diário, Censura e aplauso, Editorial publicado em 6 de outubro de 1996.

721 – Um quarto de século depois da eleição de 1996, vale a análise feita no calor do pleito pelo Diário. 

Gilson Menezes, o primeiro prefeito petista do Brasil, não era mais do PT – era agora do PSB – mas continuava querido em larga escala no partido, ombreando-se com Zé Augusto, o petista que depois, como ele, deixaria a agremiação – o fiel até hoje sempre foi José de Filippi Júnior.

No caso de São Caetano, indagava o Diário: “É mesmo possível levar a sério a briguinha de compadres entre o atual prefeito (Dall’Annese, eleito pelo PTB em 1992) e seu sucessor (Tortorello, eleito em 1996 pelo mesmo PTB)?

722 – Em São Caetano, sem a possibilidade de um segundo turno – pelo número de habitantes da cidade – foram quatro os candidatos a prefeito.

723 – Luiz Tortorello (PTB), com Silvio Torres de vice, ganhou para prefeito com 56.268 votos (58,77% dos votos válidos). Em segundo lugar, Claudio Damambro, com 28.086 votos (29,34%). Seguidos por Vera Lucia Severiano (PT), 10.134 votos; e Edison Roberto Parra (PDT), 1.252. A apuração ocorreu na Garagem Municipal, à Rua Clóvis Bevilacqua.

724 – “Briga de compadres ou não”, como escreveu o Diário, o certo é que Dall’Anese não compareceu à posse de Tortorello, a exemplo de Newton Brandão, em Santo André, e José Teixeira, em Rio Grande da Serra.

725 – À Câmara Municipal de São Caetano, dos 21 vereadores eleitos, oito eram profissionais da área médica, conforme levantamento do Diário à época. Aos vereadores-médicos reeleitos – Eduardo Agostini e Flavio Rstom – juntaram-se Angelo Pavin e o cirurgião-plástico Paulo Nunes Pinheiro (futuro prefeito). 

Com a reeleição de Joel Fontes e Moacyr Gallina, Luiz Emiliani, o Luizinho da Farmácia, era o terceiro farmacêutico da bancada do PL. 

A novata Sueli Nogueira, diretora do INSS, completava a bancada ‘Cruz Vermelha’. 

726 – Uma segunda mulher foi eleita em São Caetano, a professora Neide Figueiredo, mulher do vereador Nilo Figueiredo, que não disputou a reeleição em 1996.

727 – Em Diadema, cinco candidatos a prefeito. Gilson Menezes (PSB), com Maria Regina Gonçalves (PV) de vice, ganhou em primeiro turno, com 88.439 votos (53,95%), seguido pelo candidato oficial do PT, José Augusto, com 72.458 votos (44,20%). Os três outros candidatos: Luiz Paulo Salgado (PTB), 1.818; Wilson Ferreira Braga (PSC), 790; e Ronaldo dos Santos Silva (PSTU), 412. A apuração foi realizada no Ginásio Esportivo Mané Garrincha, no Jardim Tamoio.

728 – O PT perdeu para prefeito em Diadema, mas elegeu a maior bancada à Câmara Municipal. Em 1992 elegeu cinco vereadores, acrescentando mais dois em 1996. Também o PSB do prefeito eleito conseguiu aumentar o número de vereadores, passando de dois para quatro.

729 – A surpresa da nova Câmara de Diadema, lembrou o repórter Chico de Gois, foi a não reeleição do vereador Gabriel Gonçalves, o mais antigo de todo o Grande ABC, que ocupou uma vaga no legislativo durante sete legislaturas consecutivas – Lenildo Magdalena, de São Bernardo, seria o mais antigo, mas não foi eleito consecutivamente desde os anos 50.

Outro veterano, Milton Capel, reeleito para o quinto mandato consecutivo, que passava a ser o vereador mais antigo de Diadema.

730 – Entre os 21 vereadores de Diadema, quatro mulheres: Cida Ferreira (em terceiro mandato), Maridite Cristóvão de Oliveira (mulher de José Augusto), Eliete Azevedo de Menezes (mulher de Gilson Menezes) e Denise Ventrici Campos (filha do vereador Jácomo Ventrici).

CANTA ITÁLIA

Produção e apresentação: Marquitho Riotto

Edição 126

Hoje, às 20h

Rádio ABC, 1570

Reprise: sábado, às 23h

Homenagem desta audição: Amaury “Bacalhau” de Jesus, veterano da Simca/Chrysler. Produção: Cezar Lívio.

Em 14 de julho de...

1966 – Prefeito Hygino de Lima assina contrato para a construção do Paço Municipal de São Bernardo, obra prevista para ser concluída em 500 dias.

Diário há meio século

Quarta-feira, 14 de julho de 1971 – ano 13, edição 1586

Destaque – Marginal direita do Tamanduateí é só para outubro.

Até o fim de outubro deverão estar concluídas as obras de pavimentação do primeiro trecho da avenida marginal direita que liga Santo André a Mauá, desde a Rua Antonio Cardoso até o Córrego Apiaí.

Hoje

Dia Mundial do Hospital 

Dia do Propagandista

Festa Nacional da França, que comemora a queda da Bastilha

Santos do Dia

Kateri (Catarina) Tekakwitha. A primeira americana pele-vermelha a ter sua santidade reconhecida pela Igreja.

Camilo de Lellis

Francisco Solano

Municípios Brasileiros

Hoje é o aniversário de Campinas, separado de Jundiaí em 1797 e elevado à cidade em 14 de julho de 1897.

Também aniversariam em 14 de julho: Araçoiaba (Pernambuco), Bocaiuva e Canápolis (Minas Gerais); Itupiranga (Pará); Júlio de Castilhos (Rio Grande do Sul); Passo de Camaragibe (Alagoas); Rio Azul e 

Teixeira Soares (Paraná).

Comentários


Veja Também



Voltar