Cena Política

Estar atrás de Paulo Serra irrita Morando




O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), não gostou de ficar atrás do chefe do Executivo de Santo André, Paulo Serra (PSDB), na avaliação de governo medida pela pesquisa Diário/Badra, divulgada domingo. Tanto que no fim de semana orientou sua claque a buscar desmerecer o instituto. Seguiu à risca a cartilha bolsonarista, de atacar o mensageiro, não tentar entender a mensagem. O tucano são-bernardense já não tinha digerido bem o resultado eleitoral do ano passado, quando Paulo Serra havia o superado tanto em percentual quanto em votação nominal na reeleição. Mas até aí não poderia atacar o sistema eleitoral brasileiro.

Avaliações – 1
Líder no ranking regional na avaliação de governo mensurada pela pesquisa Diário/Badra, o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), agradeceu ao andreense o índice – de 82,2% de aprovação. “Sabemos que ainda temos muito trabalho pela frente e muita coisa para melhorar, só que juntos, com cada um de vocês, não tenho dúvida que continuaremos este trabalho e estaremos cada vez melhor. O amor pela cidade e o respeito pela nossa gente continuarão sendo nosso guia. O compromisso é com você, andreense, que, assim como eu, vive e ama esta cidade.”

Avaliação – 2
Com 60% de aceitação, o prefeito de Diadema, José de Filippi Júnior (PT), disse ser grato pelo índice e considerou que o percentual dá “vontade de trabalhar muito mais para fazer nossa cidade melhor para todos e todas”. Claudinho da Geladeira (Podemos), de Rio Grande da Serra, agradeceu aos moradores. “Os trabalhos só estão começando, ainda temos muito a ser feito e realizado por nossa cidade e sua população”, disse ele, com aceitação de 51,9%.

Avaliação – 3
Internamente, os prefeitos de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania), e de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PL), também traçaram diagnósticos sobre o levantamento Diário/Badra. O primeiro admitiu surpresa positiva com os 59,8% de aprovação, a despeito de ter assumido o Palácio da Cerâmica em meio a uma turbulência política. O segundo, que foi elogiado por 55,9%, apontou o crescimento em pontos percentuais na comparação com a eleição do ano passado – quando ele venceu Adler Kiko Teixeira (PSDB) ao atingir 45,9%.

Avaliação – 4
Já dentro do governo do prefeito Marcelo Oliveira (PT), de Mauá, o assunto foi evitado – ele apareceu na última colocação. Porém, o ex-vice-prefeito da cidade Paulo Eugenio Pereira Junior (PT) traçou uma análise sobre os números olhando o copo meio cheio. “O Marcelo assumiu a cidade na pior condição das demais, com ex-prefeito Atila Jacomussi (SD) tendo sido preso por duas vezes durante seu mandato. A cidade ficou à deriva, em situação caótica. Agora, após arrumar o caminhão da mudança, Marcelo Oliveira deverá mudar o rumo da cidade, trazendo desenvolvimento social e econômico, gerando emprego e rendas, cuidando das pessoas, priorizando a vida. Eu ainda acredito que é possível.”

Nomeação
Filho do superintendente do Instituto de Previdência de Santo André, Fernando Gomes, o ex-candidato a vereador Daniel Buissa (PV) está nomeado na FUABC (Fundação do ABC), no contrato andreense, com cargo de coordenador técnico e salário bruto mensal de R$ 7.515,32.

Projeto de lei
O vereador Julinho Fuzari (DEM), de São Bernardo, relembrou projeto de lei de sua autoria publicado na Câmara que veda a contratação de condenados pela Lei Maria da Penha junto aos órgãos públicos da cidade. Garante que há jurisprudência para que um vereador apresente tal proposta, em entendimento na cidade de Valinhos, no Interior.  

Comentários


Veja Também



Voltar