Política

Santo André municipalizará todo ensino fundamental




O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), oficializou proposta de municipalizar o ensino até 2024, ano do término do mandato do tucano. O item integra plano de metas documentado ontem pelo governo tucano, em anúncio ocorrido no Paço, e que formaliza principais projetos a médio e longo prazos dentro do programa denominado Santo André 500 anos. Na Educação, a municipalização de 100% dos alunos da rede pública até o desfecho do ensino fundamental 2 (9º ano) – atualmente, parte é estadual – consta na lista entre as ações a serem alcançadas no período de quatro anos.

“Proposta é concluir 100% (da municipalização) em 2024. O plano (como um todo) é grande legado, considero revolução, representa um marco. Em 2017, quando começamos a gestão, a Prefeitura era cheia de dívidas, débitos com fornecedores, aquela cidade era impossível pensar plano de metas. Agora, mediante recuperação da capacidade de investimento, em que pese ainda estarmos na pandemia, é possível traçar objetivos que melhoram a vida das pessoas. A falta de planejamento nas últimas décadas levou a queda na qualidade dos serviços e estamos mudando esse cenário”, avaliou Paulo Serra.

O plano contém, a princípio, 467 projetos envolvendo 79 metas. Parcela significativa das propostas foi retirada do programa de governo formulado para a campanha eleitoral de 2020. O tucano apontou que a população ainda pode participar de consulta pública e contribuir com sugestões. “O plano é organismo vivo, pode ser revisto a qualquer momento. Será ferramenta de controle social na qual os munícipes poderão se identificar e enxergar onde a cidade pode chegar em quatro, oito, 12, 30 anos”, disse Paulo Serra. “Pode ajustar rumos, mas temos linha central, de forma clara e transparente, que tem que continuar.”

O documento ficará disponível no link https://www.santoandre500anos.com.br/planodemetas. O conceito foi traçado pela Unidade de Planejamento e Assuntos Estratégicos, comandada por José Police Neto (PSD). Segundo o pessedista, a previsão de investimentos é de R$ 3 bilhões em quatro anos. “Cidade dá passo essencial para garantir planejamento, execução e acompanhamento de todas as ações que pactuamos com a população (na eleição). Buscaremos novas economias, modernas concessões e chamar a sociedade a participar das soluções”, pontuou Police.

O registro contempla a intenção do governo em realizar a concessão dos parques municipais, a exemplo do Celso Daniel, Central, Pedroso, Guaraciaba e Pignatari, além da Sabina. Outras concessões estimadas no plano são dos cemitérios e serviço funerário, Ceasa, bem como fazer a PPP (Parceria Público-Privada) da drenagem e da habitação. O documento cita também zerar deficit de vagas em creche e entrega das unidades Mirante 1 e Tamarutaca. Na saúde, revitalizar as UBSs Lucinda, Paraíso e Paranapiacaba, e construir equipamentos (clínicas da família no Cruzado e no Alzira Franco, bem como implantar Hospital do Idoso). Há menção à urbanização de 13 núcleos, incluindo Santa Cristina, Espírito Santo, Jardim Cristiane e Jardim Irene. 

Comentários


Veja Também



Voltar