Política

Endividada, São Bernardo captará verba do BNDES




Em meio ao processo de endividamento do Paço, o governo do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), irá contrair novo empréstimo, desta vez no valor de até R$ 25 milhões junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para a área de segurança pública. O tucano sancionou lei que registra autorização legislativa para contratar operação de crédito com a instituição visando financiar conjunto de medidas no setor considerado crítico na cidade.

No período do primeiro mandato de Morando à frente do Paço, entre 2017 e 2020, o montante devido pela administração passou de R$ 1,61 bilhão para R$ 3,08 bilhões, acréscimo de 91%, conforme dados fornecidos à STN (Secretaria do Tesouro Nacional). A ampliação da dívida consolidada do município contrapõe a própria linha de discurso do tucano.

O BNDES deu aval à concretização do empréstimo com a Prefeitura – a contratação se dá no âmbito de programa específico criado na instituição, destinado à modernização da segurança urbana de Estados e municípios. O suporte confirmado corresponde a 90% do valor total do projeto de investimentos. O pacote tende a envolver cerca de R$ 27,5 milhões. “As iniciativas têm como característica uso intensivo de tecnologia e como prioridade a aplicação em regiões da cidade que apresentam elevados índices de criminalidade e de vulnerabilidade social”, aponta texto do banco.

Entre as aquisições estão previstas 350 câmeras de monitoramento, além de seis drones para coberturas de grandes eventos e fiscalizações ambientais. O BNDES registra que, como resultados no período, aguarda, por exemplo, a redução de 15% nos furtos de veículos e 3,3% nos roubos de carga, além do aumento de 17,7% para 30% no número das ocorrências identificadas por câmeras de vigilância.

O banco destaca que São Bernardo integra conjunto de 120 cidades que concentraram 50% dos homicídios ocorridos no Brasil em 2017, segundo o Atlas da Violência de 2019 publicado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O Diário publicou, no fim de maio, que São Bernardo aparece entre os três municípios com maior número de furtos e roubos de automóveis, caminhonetes e utilitários no Estado, de acordo com dados da SSP (Secretaria da Segurança Pública) relativos ao primeiro trimestre de 2021. São Paulo registrou 4.946 roubos de janeiro a março. Destes, 201 ocorreram na cidade, ficando atrás apenas da Capital e de Campinas.

Ao ser questionada sobre a elevação do passivo, a Prefeitura já alegou ter adotado, em 2017, amplo plano de austeridade diante de R$ 200 milhões em restos a pagar herdados. Sobre o empréstimo, afirmou que a autorização vai permitir a atualização tecnológica das iniciativas de segurança urbana. Pontuou, entre as ações, a ampliação das câmeras interligadas ao centro integrado de monitoramento da cidade, implantação de sistema de vigilância aérea por drones, criação de programa de barreiras eletrônicas e troca dos rádios de comunicação do analógico para o digital. “A expectativa é que a operação de crédito seja iniciada nas próximas semanas”, pontuou, por nota. 

Comentários


Veja Também



Voltar