Política

Câmara instaura comissão para apurar mortes por falha no Ame




A Câmara de Santo André votou favorável hoje à instauração de comissão especial, classificada de assuntos relevantes, para investigar a ocorrência de três mortes, na terça-feira, de pacientes internados com diagnóstico de Covid-19 no Ame (Ambulatório Médico de Especialidades), equipamento estadual e situado na cidade. A aprovação da medida se deu forma unânime em ambiente virtual. O grupo parlamentar terá a função de averiguar as responsabilidades dos envolvidos pela falha na falta de oxigênio relacionada ao episódio.

“Justificamos o pedido tendo em vista a necessidade de acompanhamento e fiscalização, visando apurar e discutir a ocorrência referente ao falecimento de três pacientes no intuito de avaliar
responsabilidades e evitar reincidência em tempos de situações emergenciais e calamidade pública”, aponta trecho da alegação do documento. “Fica constituída a comissão para acompanhar as ações do governo de São Paulo e FUABC (Fundação do ABC), responsáveis pela administração e respectiva apuração de falhas técnicas e/ou humanas que resultaram nas mortes”, finaliza o texto.

As informações iniciais apontaram que equipe técnica que atua no Ame identificou uma falha no suprimento de oxigênio destinados aos pacientes, por volta das 6h. Teria ocorrido pane e mesmo a tentativa de se utilizar backup não foi suficiente. Esse problema no equipamento impediu o envio correto do oxigênio aos internados – as vítimas estavam em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). No rol, uma senhora de 82 anos, uma mulher de 41 anos, no local desde o dia 15 de maio, e um homem, também de 41, hospitalizado desde 21 de maio.

O grupo, a ser formado pela casa, ficará composto por cinco integrantes, tendo como presidente o vereador Pedrinho Botaro (PSDB), dirigente do Legislativo e autor da proposta apreciada. O prazo de funcionamento do bloco será de quatro meses a partir da formalização da abertura para analisar o caso ocorrido no Ame localizado na Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, altura do número 3.330, na região da Vila Luzita. A unidade estadual, sob alçada da Fundação do ABC, começou a receber em março pacientes em tratamento contra a Covid, em espaço destacado como hospital de campanha.

Requerimento do vereador Edilson Santos (PV), encaminhado concomitantemente, solicita ao prefeito Paulo Serra (PSDB) para que junto ao governo estadual acione a Secretaria de Saúde a respeito de avaliar as imputações do ocorrido. “Precisamos apurar as responsabilidades das mortes. As mortes não voltarão, mas os culpados (devem) sofrer os rigores da lei.” A pasta estadual de Saúde determinou abertura de sindicância interna sobre o caso e pediu que a Fundação do ABC, responsável do Ame junto ao Estado, afaste os responsáveis até que os fatos sejam esclarecidos. 

Comentários


Veja Também



Voltar