Economia

Volkswagen estuda paralisação em São Bernardo




Após interromper as atividades em Taubaté, no Interior do Estado, e em São José dos Pinhais, no Paraná, a Volkswagen sinaliza possibilidade de fazer o mesmo na fábrica de São Bernardo. A justificativa é o problema da falta de componentes e insumos, que atinge toda a indústria automotiva brasileira.

De acordo com informações do SMABC (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC), a montadora alemã afirmou que há a possibilidade de que as atividades sejam interrompidas, caso este problema continue. Se isso se concretizar, a paralisação ocorreria a partir de 1º de julho, pelo período de 30 dias. O primeiro turno dos trabalhadores teria férias coletivas e o segundo lay-off (licença remunerada).

No Grande ABC, a GM (General Motors) em São Caetano, foi a única que anunciou parada pelo motivo da falta de peças, além da adequação da linha de montagem para receber um novo modelo. As demais montadoras localizadas na região (Toyota, Mercedes-Benz e Scania) afirmaram que ainda não há possibilidade de paralisação.

O Diário questionou a Volkswagen sobre o assunto e a empresa afirmou que não vai comentar as informações. 

Comentários


Veja Também



Voltar