Setecidades

Toque de recolher tem primeiro dia tranquilo




A retomada do toque de recolher noturno começou ontem em Santo André e São Bernardo. Até o fechamento desta edição, as duas cidades não haviam registrado ocorrências de descumprimento da medida, que restringe a circulação de pessoas e do transporte público entre 22h e 4h, até o dia 14 de junho.

A equipe de reportagem do Diário percorreu as duas cidades, após o horário de restrição em pontos estratégicos de maior circulação, e pôde constatar pouca movimentação.

Em Santo André não foram montadas barreiras sanitárias, no entanto, viaturas da GCM (Guarda Civil Municipal) realizavam rondas pelo município.

Em São Bernardo, a guarda fez bloqueio em 15 pontos, sendo que alguns deles contavam com apoio da PM (Polícia Militar) e da Polícia Civil. As barreiras estão distribuídas em locais como as avenidas Lauro Gomes, Lions e Kennedy, onde todos os veículos que passam são parados. Segundo os agentes, a abordagem é para questionar o motivo pelo qual a pessoa está circulando e orientar sobre as restrições.

Infectologista e fundador do IBSP (Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente), José Ribamar Branco destacou, porém, que somente o lockdown total seria capaz de frear de maneira eficaz o aumento de casos e mortes por Covid-19. “O Brasil tem um número de casos que sempre foi muito alto. Temos há bastante tempo uma taxa de mortalidade que gira em torno de 500 a 2.000 casos por dia, e isso mostra que nossas políticas não estão funcionando”, avaliou o especialista.

Branco destaca que o toque de recolher visa diminuir a circulação do transporte público, que ele aponta como um dos maiores vetores de transmissão do vírus, além de evitar aglomeração de jovens em bares e festas clandestinas. “Como não há coordenação nacional e o presidente (Jair Bolsonaro – sem partido) boicota tudo e qualquer coisa do gênero (que visa minimizar a pandemia), até mesmo o distanciamento e uso de máscaras, essas medidas não surtem o efeito desejado”, disse, referindo-se ao cumprimento dos horários do toque de recolher que, no Estado, também está em vigor entre 21h e 5h. “O pessoal acaba sendo criativo e encontrando formas de furar o bloqueio”, frisou o infectologista.

Branco pontua ainda que somente a vacinação em massa será capaz de minimizar os estragos da pandemia. “Mas esse índice de vacinação da população só teremos impacto em meados de setembro e outubro, quando alcançaremos cerca de 60% da população imunizada”, finalizou o médico.  

Comentários


Veja Também



Voltar