Esportes

São Caetano tem novo CEO e traça planos para o futuro




O São Caetano tem um novo homem forte à frente do clube. Manoel Sabino Neto, 43 anos, presidente da Acircom (Associação do Circuito das Compras), que é responsável pela Feira da Madrugada, na Capital, já exerce o cargo de CEO em sua primeira experiência com futebol. Ex-titular da função, Márcio Granada seguirá no projeto azulino, mas mais voltado à sua área de promoção de eventos e fortalecimento da marca.

“Tenho empresa de assessoria empresarial, e unido a alguns amigos estamos indo para esta nova etapa, para dar reformulada geral no São Caetano. A ideia é dar repaginada, trazendo pessoas do mundo do futebol para a gestão. Ficará 100% com profissionais ligados. A parte administrativa iremos cuidar, mas o futebol será 100% gerido por pessoas do meio”, explicou o novo mandatário, que como primeira peça trouxe Célio Silva, ex-Corinthians, para ser gerente da base do São Caetano. E, segundo ele, outros mais virão.

A inserção de Sabino no Azulão não está relacionada a aporte financeiro inicial. “Estamos honrando com débitos em aberto do clube com atletas, profissionais, funcionários, para colocar a casa em ordem”, afirmou o dirigente, que terá como um dos braços direitos Maurício Reigado.

Manoel Sabino Neto já estava à frente do time antes mesmo de o rebaixamento para a Série A-2 ser consumado na segunda-feira, 3, após a derrota por 1 a 0 para a Inter de Limeira. “Quando assumiu, já tinha essa perspectiva de que estava difícil se manter, mas as tratativas são para que em um ano possamos ressurgir com um sangue azul novo, possibilitando ao São Caetano disputar todas as categorias e todos os campeonatos possíveis”, contou o CEO, que deixou um recado à torcida azulina. “A gente entende o nervosismo de alguns, por toda a situação que viveu, mas pede voto de confiança e garante que os nomes que serão apresentados vão agradar e mostrar que não estamos para brincadeira. Respeitamos a camisa do Azulão e em poucos meses verão mudanças no São Caetano.”

Apesar de o descenso ter sido consumado há dois dias, já é visto como passado por Márcio Granada, que indica ser necessário aprender com as falhas. “Não é hora de falar de culpados, mas tentar encontrar os erros para acertar no futuro. Sabíamos das dificuldades, foi um mês de trabalho apenas (da nova gestão), agora os planos seguem: ter pré-temporada na Europa, projetos fora do País, amistosos e torneios internacionais, internacionalizar a marca São Caetano”, projetou. “Mas o maior objetivo agora é buscar o título da A-2 para voltar à elite.”
 

Comentários


Veja Também



Voltar