Palavra do Leitor

Impasse no licenciamento da Ferrogrão




O Brasil é o País que tem maior concentração logística com escoamento realizado pela malha rodoviária, movimentando 75% das nossas mercadorias; seguida da marítima, com 9,2%; aérea, com 5,8%; e da ferroviária, com apenas 5,4%, além de cabotagem e hidroviária, que, juntas, não chegam a 4%, segundo dados da pesquisa Custos Logísticos no Brasil, da FDC (Fundação Dom Cabral). Diante desses fatos, ampliar a malha ferroviária com projeto como a Ferrogrão, importante ferrovia para o escoamento de commodities, como o milho, soja e farelo de soja, açúcar, etanol e muitas outras mercadorias da região Norte, significa a otimização do progresso logístico nacional. Impasses envolvendo as áreas de conservação ambiental na rota da ferrovia devem ser incluídos urgentemente na agenda nacional, na busca imediata por soluções a todos os envolvidos. No entanto, a paralisação acaba por mitigar todo o avanço do modal ferroviário, que, diferentemente das obras na malha rodoviária, requer desenvolvimento contínuo e de longo prazo para que possa ser estendido a cada troca de liderança governamental.

Sabemos o quanto o modal rodoviário é benéfico ao desenvolvimento econômico do País, tanto para manutenção da infraestrutura quanto à movimentação da indústria de veículos pesados e o mercado de combustível, por exemplo. Além disso, faz a conexão de embarcadores e transportadoras de toda a cadeia de suprimentos à força de trabalho massiva realizada com êxito por nossos caminhoneiros. Vale destacar o potencial de crescimento do modal ferroviário, que, segundo dados do Painel CNT do Transporte – Ferroviário da Confederação Nacional do Transporte, movimentou, apenas em setembro de 2020, 48,25 milhões de TUs (Toneladas Úteis), crescimento de 8,9% ante mesmo período de 2019, que registrou 44,3 milhões de TU.

Relevância do setor também é reforçada pelas concessionárias associadas à ANTF (Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários), que, em comparação com fevereiro de 2020, apresentaram crescimento de 1,1% no volume transportado em fevereiro de 2021 – no mesmo período, o transporte de carga geral registrou alta de 4,2%. Já na comparação mês a mês, de janeiro para fevereiro deste ano, crescimento foi de 66%, passando de 4,9 milhões para 8,2 milhões de cargas transportadas pela malha ferroviária. Portanto, é retrocesso pensar que escoamento de mercadorias tão essenciais ainda seja prioritariamente dependente das rodovias. Precisamos reconhecer o trabalho realizado pelo modal ferroviário e apoiar a expansão, pois, assim, avançaremos com logística sobre trilhos, unindo importantes polos produtores do País em prol de objetivo em comum e favorável a todos: o progresso.

Denny Mews é fundador e CEO da startup CargOn e professor do MBA em TRC (Transporte Rodoviário de Cargas).


PALAVRA DO LEITOR

Vacinação
Ao ler este Diário de sábado não me surpreendeu não sair nenhuma notícia referente ao problema que houve na vacinação em Santo André mostrada na televisão. Se fosse em outra cidade, que não preciso citar qual é, sairia na Primeira Página e seria assunto para semana toda. Ano que vem teremos eleição para governador.
Keiko Sakata
São Bernardo


Bandeira branca
Saiu na coluna Cena Política, de Fábio Martins (Política, dia 17), a notícia de que a Prefeitura de Ribeirão Pires mandou hastear no Mirante de Santo Antônio bandeira de cor branca com os dizeres: ‘Com fé vamos vencer’. A bandeira branca tem o significado de paz e esperança para o fim de conflito. Nesta época de tantas incertezas e traumas psicológicos, serve como alento para superar esta pandemia. O objetivo é vacinar toda a população. No vacinômetro estamos em terceiro lugar. Men sana in corpore sano (Mente sã em corpo são).
Octavio David Filho
Ribeirão Pires


Ladeira abaixo
Se depender do STF (Supremo Tribunal Federal) que aí está, invertendo a ordem de valores, caminhamos a passos largos ladeira abaixo, caçando heróis e soltando bandidos. Impressionante o malabarismo que alguns togados fazem para tentar justificar o injustificável. Causa-me indignação ver como agem contra o Brasil em favor de ‘gatunos’. A Lava Jato, liderada por Moro, acendeu luz no fim do túnel contra a corrupção que impede o desenvolvimento do País. Se o STF cumprisse seu papel, zelando pela Constituição e julgando processos de meliantes com o maldito foro privilegiado, como Renan, Aécio e Jader Barbalho, entre tantos, teríamos Congresso mais limpo e com pouco mais de credibilidade. É de dar ânsia ver Renan e Jader Barbalho no papel de investigadores. Mas não podemos jogar a toalha, pois é isso que querem. Mais vale Moro, que recuperou bilhões surrupiados, do que os 11 togados.
Mauri Fontes
Santo André


Pobreza e fome
Diariamente bate à minha porta alguém pedindo comida ou vendendo alguma coisa para sobreviver. Isso não acontecia antes no Parque das Nações, em Santo André. Essa triste realidade bate com os dados do Ministério da Cidadania, divulgados por este Diário, quando 87 mil pessoas sobrevivem no Grande ABC com R$ 89 por mês ou R$ 2,96 por dia (Setecidades, ontem). Os dados são ainda piores se a gente observa a FGV/Ibre, que aponta 733,6 mil pessoas vivendo em situação de pobreza na região, ou seja, 26,2% da população. Infelizmente, elites enriqueceram ainda mais com a pandemia, não fazem nada e de maneira sutil acham que não se deve dar o peixe ao povo, e sim ensiná-lo a pescar. E hoje quem dá o peixe é a solidariedade humana das pessoas. Sabe-se que não vai existir emprego para todo mundo e as ondas de miséria e fome vão ficar mais agudas neste 2021. As prefeituras da região poderiam formular e executar políticas públicas como oportunidade de gerar grande impulso regional para reduzir as desigualdades e gerar trabalho e renda, no curto e médio prazos. O Consórcio Intermunicipal poderia ocupar espaço relevante nesse sentido. Infelizmente, ainda falta vontade política.
Cido Faria
Santo André


Descobertas
O que descobri desde o início da pandemia? Descobri que o menos é realmente mais. Descobri que quando vamos contra nossa intuição quebramos a cara de fato. Descobri que não preciso de roupas novas. Descobri que restaurantes não são essenciais. Descobri que necessito estar comigo mesma, só comigo todos os dias. Descobri ouvir meu corpo. Descobri que é maravilhoso observar e aprendi a observar os pássaros, ler os livros que estavam encostados etc.
Rosângela Caris
Mauá


Menos vacinas
É muito preocupante que o calendário de 200 milhões de doses de vacinas que o Ministério da Saúde estima receber no terceiro trimestre deste ano pode não ocorrer, como da Pfizer, que, devido à demanda mundial, a entrega de 100 milhões de doses não está garantida, e da Fiocruz, que envasa a Oxford/Astrazeneca, que dos 65,2 milhões prometidos apenas garante 28,1 milhões de doses. Já da russa Sputnik V, a estimativa de 30 milhões de doses, adquiridas por consórcio de governadores e prefeitos, corre o risco de até não ser aprovada pela Anvisa. Vamos torcer para que a outra vacina do Butantã, a Butanvac, tenha alta eficácia.
Paulo Panossian
São Carlos (SP) 

Comentários


Veja Também



Voltar