Palavra do Leitor

Palavra do leitor


Há um ano, a pandemia da Covid-19 desafia gestores públicos a adotarem estratégias de contenção do vírus e medidas para garantir a capacidade hospitalar instalada, de forma que o sistema de saúde não entre em colapso e pacientes fiquem sem atendimento médico, a despeito da falta de coordenação única advinda de organismos federativos superiores. Contudo, Santo André e o Grande ABC vêm se destacando por serem resilientes, mesmo diante do pior momento da pandemia. Resultado de muito planejamento e trabalho, que garantiram que nenhum andreense ficasse sem assistência ou morresse aguardando por vagas em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A cooperação entre as cidades permitiu, inclusive, a realocação de pacientes via sistema informatizado de vagas, quando municípios menores e menos estruturados colapsaram.

Em Santo André, a testagem em massa possibilitou diagnosticar e tratar pacientes de maneira preventiva, evitando agravamento dos casos e, consequentemente, aumento das internações nas UTIs. Além disso, medidas como telemedicina, a implantação de centro especializado em Covid e a eficiência na aplicação da vacina garantiram capacidade maior de resistir, pela qual Santo André vem se destacando.

Já imunizamos cerca de 110 mil pessoas, cobertura vacinal de 15%, acima das médias estadual e nacional. E a busca por mais doses da vacina não para. Por meio do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, o município e as outras seis cidades da região protocolaram intenções de compra junto a todos os laboratórios que estão produzindo vacinas. Mais do que o objetivo de adquirir doses extras, nos preparamos para arcar com despesas. Aprovamos o uso dos fundos municipais para o enfrentamento à Covid-19, com aporte de R$ 60 milhões.

Aqui, as medidas sanitárias se somaram às ações restritivas de circulação, com o fechamento de serviços não essenciais, lockdown noturno, proibição de venda de bebidas alcoólicas, aplicação de protocolos sanitários e intensificação da fiscalização para dispersão de aglomerações. Decisões fundamentais para desacelerar a ascensão do vírus e retrair a alta nas internações. No período mais agudo, Santo André chegou a registrar 1.100 internados e a ter ocupação média de 94% dos leitos de UTI Covid. Após a adoção de série de medidas de controle de circulação, nossos números recuaram em mais de 30%. Mas o bom desempenho no combate ao novo coronavírus não se limita ao fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde), com a ampliação de 70 novos leitos de UTI, ou à atuação dos hospitais de campanha, com 400 leitos.

Santo André também focou na solidariedade, para ajudar mais de 100 mil pessoas que estão em vulnerabilidade. Campanha idealizada pelo Fundo Social de Solidariedade, capitaneada pela primeira-dama, Ana Carolina Serra, bateu recorde de arrecadações. Foram 237 toneladas de alimentos doados, além de 350 mil kits de limpeza e R$ 106 mil em recursos captados, durante duas horas de live, na maior campanha solidária do Grande ABC. A Santo André Solidária permanece até o fim de abril em pontos de drive-thru, coletando alimentos que beneficiarão entidades assistenciais.

Criar mecanismos de sobrevivência e de dignidade para atravessar este período mais intenso da pandemia é o que nos referencia e destaca no cuidado com nossa gente. Por isso, já distribuímos mais de 700 mil máscaras de tecido confeccionadas pelo Costurando com Amor e mais de 300 mil cestas básicas, com legumes e frutas, pelo Merenda em Casa, destinadas aos 33 mil alunos da rede municipal. Pacotes de auxílios financeiros, com a suspensão da cobrança de tributos como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto Sobre Serviço), projeto renegociação de dívidas do município, suspensão de cobrança de aluguéis, entre outras medidas protetivas, contribuem para esses índices de controle e superação.

Focamos na prevenção e conscientização, com implantação de pit stops da prevenção nos principais corredores comerciais, estações de trem e terminais rodoviários. Foram muitas as ações inovadoras que nos conduzem a este momento de reversão do avanço da Covid, enquanto a maioria das cidade brasileiras está próxima de colapso. Não existe fórmula única ou milagrosa, mas conjunto de medidas planejadas e complementares.

Políticas públicas que nos dão suporte para a retomada, com o avanço das vacinas. E vamos continuar neste caminho certo, para conduzir a nossa cidade, o Grande ABC e a nossa gente a futuro seguro. Vamos resistir e superar.

Paulo Serra é presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e prefeito de Santo André. 

PALAVRA DO LEITOR

Deus

 Evangélico mata barbaramente enteado, criança inocente e indefesa de 4 anos, e com a conivência da mãe e avós. Pastores bilionários vendem grãos de feijão caríssimos e água ungidos para cura de doenças, e tomam bens de fiéis aflitos e fragilizados na fé. Pastora esconde bom dinheiro na Bíblia para levar ao Exterior. Outra promove orgias com filhos e manda matar o marido. Messias, negacionista, abençoado por pastores, quer o povo armado, incita e destila ódio nas redes sociais. Não sei qual é o deus que guia essa gente. Com certeza não é o meu Deus: fraterno, caridoso, que traz a paz e a quem eu não temo. Esse deus deles, com certeza esconde a cauda.

Evaristo de Carvalho Neto

Santo André

 Lula 

 São tantas barbeiragens do presidente na condução do Brasil que se Lula voltar vai provar para todos os que dele desconfiavam que ele soube governar, gerou empregos, garantiu renda aos mais vulneráveis, oportunidades aos pobres, enfim, colaborou para que o povo vivesse melhor. E vai fazer isso de novo. Daí vai ficar difícil para os que não gostam dele – e torcem contra o melhor para o Brasil – ter de reconhecer que Lula é muito superior a Bolsonaro. Em tudo. Lula, o País precisa de você.

Ismar Liberatti

 Ribeirão Pires

 Elogios 

 É digno de elogios o recapeamento da Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, em Santo André. Há trechos que parecem ‘tapete’ de tão bons que estão ficando. Porém, é necessário que a Prefeitura refaça alguns outros onde o asfalto está afundando poucos dias depois de arrumado. Talvez por causa da circulação de ônibus, mas, como não é possível a proibição de circulação na via, importante que se faça algo mais resistente, para que não haja desníveis. No sentido bairro o trabalho parece melhor. Que se estenda a outras vias da cidade que também precisam desse cuidado. 

Pâmela Diomino

 Santo André

 PT não. Ele não 

 Votei em Bolsonaro para não ter de aguentar novamente as falcatruas do PT. E não voto nunca mais nesse partido, que deveria ser ‘dos trabalhadores’, mas virou dos que querem se dar bem. Mas confesso arrependimento por ter votado neste presidente que aí está, que é mistura de todos os outros, só que piorado, porque não faz ideia do que é ser presidente da Nação.

Silas Tomazzini

 São Caetano

 Sinalização 

 O presidente Bolsonaro disse semana passada neste Diário: ‘O Brasil está no limite. O pessoal fala que eu devo tomar providências. Estou aguardando o povo dar uma sinalização’ (Política, dia 15). Então, aqui vai a sinalização: Bolsonaro, peça para sair! Você não tem a menor condição de ser presidente do Brasil. Você foi grande erro, talvez o maior da história política do País. O Brasil está no limite com você. A fome, a miséria e o desemprego estão aí, e tudo por sua culpa. Por favor, tome essa providência.

Vilmar Mendes

 Mauá

Comentários


Veja Também


Voltar