Cena Política

Poucas medidas que cortam na carne


As câmaras do Grande ABC têm adotado poucas medidas – para dizer o mínimo – que cortam na própria carne para redução de despesas, como mexer na folha de pagamento a agentes públicos, que possam auxiliar os governos municipais diante do agravamento da pandemia de Covid-19. No ano passado, os vereadores encenaram ações neste sentido, mas a maior parte dos projetos ficou no discurso, a exemplo de diminuição provisória dos subsídios parlamentares em Santo André. Três propostas foram formalmente apresentadas. Nenhuma vingou. Em São Bernardo, houve corte de 10% na remuneração de funcionários comissionados da casa. No atual exercício, a despeito do recrudescimento da crise sanitária, com elevação de gastos das prefeituras na saúde e queda na renda dos trabalhadores, a movimentação que se vê nos parlamentos trata de descontos de tributos municipais, revisão de contratos e contingenciamento. Em solo andreense, foi anunciado antecipação da devolução de sobra do duodécimo, no valor de R$ 1,5 bilhão. As demais casas ainda estudam alternativas referentes à restituição. Tudo moroso.

BASTIDORES

Nome à Presidência
Com destaque na atuação pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, e agora crítico ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), o MBL (Movimento Brasil Livre) vem realçando ultimamente o nome do andreense Danilo Gentili, apresentador do The Noite, no SBT, como eventual nome na disputa presidencial de 2022. O grupo chegou a testar o comediante em pesquisas de intenção de voto ao Planalto – levantamento do IPE (Instituto de Pesquisa e Estratégia). No momento, o humorista, citado nas redes sociais, principalmente pelo público jovem, como alternativa no páreo sucessório, é alvo de ataques tanto de petistas como bolsonaristas por piadas em que ironiza os dois lados da atual polarização política existente no País.

Impacto político
O caso da suspensão envolvendo o vereador Eduardo Leite (PT), de Santo André, ainda traz impactos no cenário político regional – o petista foi punido por 60 dias das atividades partidárias em razão de elogios feitos, em entrevista ao Diário, à gestão Paulo Serra (PSDB) na condução da pandemia. Os desdobramentos da sanção podem acarretar na saída do parlamentar, que milita há praticamente 30 anos no partido – embora ele próprio ainda descarte a hipótese. O cenário resultaria em possível encolhimento da sigla para apenas uma cadeira na Câmara, ficando somente com a representação de Wagner Lima.

Renegocia
A cúpula da Prefeitura de Santo André protocolou ontem na Câmara projeto de lei que cria o chamado Renegocia 2021, programa que vai permitir aos munícipes renegociarem suas dívidas com a cidade. A proposta elaborada pelo Executivo prevê descontos para quem quitar os débitos, o que inclui também pendências com o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André). Quem, por exemplo, parcelar a dívida em até três vezes, terá redução de 100% dos juros de mora e da multa moratória. No texto, há série de opções de parcelamento, podendo chegar a pagamento em até 60 vezes, com redução de 55% nos juros e multa. Os acordos previstos na proposta abrangem créditos tributários e não tributários, inclusive os inscritos em dívida ativa.

Encontro da FUABC
Os prefeitos Paulo Serra (PSDB), de Santo André, e Orlando Morando (PSDB), de São Bernardo, se reuniram ontem pela manhã com o médico e diretor-geral da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC), David Uip. Apesar da boa relação de ambos com Uip, o encontro não foi de simples cortesia. Entre os assuntos debatidos por parte dos mantenedores no gabinete estavam o desconforto na FUABC (Fundação do ABC), sob presidência de Adriana Berringer Stephan, indicada por São Caetano. Existe incômodo por ações consideradas monocráticas tomadas pela presidência, tanto na postura quanto na forma de contratos e admissões.  

Comentários


Veja Também


Voltar