Setecidades

Cidade volta a ser referência em desenvolvimento




Santo André tem histórico de economia dinâmica e maior que várias capitais brasileiras, passou períodos com perda de empresas, empregos e geração de riqueza, mas nos últimos anos voltou a ser referência nacional em questões ligadas ao desenvolvimento econômico e produtivo. No ano anterior à pandemia, em 2019, foi considerada pela revista Exame como cidade entre as dez melhores do Brasil para se abrir franquias.

No setor da construção civil também passou por momentos positivos, apesar da crise. De janeiro a setembro de 2019, Santo André registrou aumento de 234% no número de lançamentos imobiliários. No setor de emprego também foi destaque, sendo, segundo departamento do Caged, a cidade que mais gerou emprego no Grande ABC em 2019. Além disso, tirou do papel projetos estruturantes de alto impacto, como o novo parque tecnológico, lançado em dezembro de 2019.

A cidade também recebeu seguidos anúncios de novos investimentos privados, na percepção positiva do mercado em relação ao novo ciclo econômico que Santo André vinha desfrutando. Entre 2017 e 2019, os principais investimentos privados, nos quais se destacaram em valor, foram anunciados por Braskem, Unipar e Prometeon (ex-Pirelli), superando mais de R$ 1 bilhão de investimento em três anos, com geração de aproximadamente 6.000 postos de trabalho diretos e indiretos

Contudo, a pandemia de Covid-19, para além de toda tragédia na perda de vidas e na pressão sobre todo o sistema de saúde, trouxe devastadores efeitos econômicos e sociais, com forte impacto nas oportunidades de emprego e renda para a população.

Pesquisa realizada pela Prefeitura com mais de 600 empreendedores da cidade, entre maio e junho de 2020, demonstrou que 71% tiveram queda de mais da metade do faturamento, 44% previam demissões e redução de jornada de trabalho e 66% precisaram recorrer a crédito. O saldo de emprego também foi um dos mais impactados, com variação negativa acumulada no ano em 2,1%, segundo a Fundação Seade.

Diante desse cenário, Santo André promoveu série de iniciativas para apoio à economia, como prorrogação de prazos para pagamento de tributos municipais, de prazo de vencimentos de dívidas e alvarás de obras, ampliação de mais de R$ 2,6 milhões em microcrédito pelo Banco do Povo, mais de 500 empreendedores qualificados em programas em parceria com o Sebrae, modernização dos serviços com mais de 17 mil licenças e alvarás emitidos de forma 100% eletrônica em 2020. 

Iniciativa privada confia e anuncia R$ 1,5 bi, apesar da pandemia 

Apesar das dificuldades, as ações de apoio à economia coordenadas pela Prefeitura no ano de 2020 e no primeiro trimestre de 2021 demonstram que a iniciativa privada continua confiando na cidade de Santo André. Neste período de plena pandemia, foi anunciado mais de R$ 1,5 bilhão na cidade, com destaque para Cury, Rede D’Or, Patriani e Fensa Coca-Cola, com geração estimada de mais de 13 mil vagas de trabalho diretas e indiretas.

Agora, o Brasil vive o ápice da segunda onda da pandemia do novo coronavírus, o que mais uma vez gerou forte impacto na economia local. Por isso, a Prefeitura tomou medidas de contenção de danos e de apoio ao emprego e renda, com prorrogação de prazo de alvarás, retomada do atendimento virtual às empresas e aos trabalhadores, e de programas sociais.

Com a expectativa de melhora no quadro geral da pandemia, a próxima fase de ação da Prefeitura será iniciar um amplo programa para retomada da atividade econômica, com programas estruturados de qualificação ao pequeno empreendedor, qualificação ao trabalhador para retomada no mercado, programas de fomento ao comércio local, iniciativas para melhorar o acesso a oportunidades de crédito, entre outras iniciativas a serem anunciadas nos próximos meses.

Comentários


Veja Também



Voltar