Setecidades

Ribeirão Pires inicia a desmobilização do hospital de campanha


A partir de hoje o hospital de campanha de Ribeirão Pires não receberá mais nenhum paciente que precise de cuidados para tratar de Covid-19. A Prefeitura vem tentando ajuda do governo estadual para manter o local funcionando, já que a verba disponibilizada dá conta de manter a porta aberta só até o dia 10. Assim, a expectativa é esvaziar os 26 leitos à disposição e fechar o equipamento.

De acordo com a Prefeitura, da primeira leva de investimentos feita pelo governo do Estado, restam R$ 62,4 mil, verba que pode deixar o espaço aberto até o dia 10 de março. Na quarta-feira, o local alcançou 100% de ocupação.

O Paço informou que precisa de R$ 5 milhões para manter o equipamento funcionando por mais 90 ou 120 dias, contando com insumos e pagamento de funcionários. Segundo Audrei Rocha, secretário de Saúde de Ribeirão Pires, as tratativas com o governo do Estado não avançaram. Ele lamentou que “a partir de agora os pacientes de Ribeirão Pires que precisarem de atendimento ficarão dependentes de vagas no Cross (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), sistema que também está sobrecarregado”. O serviço busca vagas em hospitais estaduais nas proximidades para encaminhar o paciente.

Procurado, o governo estadual afirmou que “não há convênio ou contrato vigente com Ribeirão Pires, que está impactado – assim como outros locais – com a ausência do governo federal no custeio de 89% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do SUS (Sistema Único de Saúde) em São Paulo e de repasses para assistência aos casos graves de Covid”. O Palácio dos Bandeirantes informou ainda que “a Secretaria de Estado da Saúde cobra continuamente a habilitação de leitos ao Ministério da Saúde. O Estado repassou mais de R$ 2,5 milhões e enviou 11 respiradores para Ribeirão Pires desde o ano passado”.

REFORÇO
A partir da próxima semana, Ribeirão Pires destinará o antigo prédio da GCM (Guarda Civil Municipal), ao lado da UBS (Unidade Básica de Saúde), no Centro, para criação do Centro de Enfrentamento à Covid. Não há previsão para inauguração. No local, serão recebidos os pacientes com sintomas do vírus, e realizados exames de diagnóstico da Covid.

Cidade adia retomada da rede estadual

A Prefeitura de Ribeirão Pires publicou ontem decreto que adia o retorno das aulas presenciais na rede estadual da cidade, que iriam ser retomadas na segunda-feira, para o dia 22 de março. O retorno gradativo para escolas municipais está mantido para 5 de abril, já as escolas particulares estão funcionando.

“As ações de prevenção e combate à pandemia estão sendo feitas em todos os setores, inclusive na educação da cidade. Seguimos as determinações das autoridades da saúde e mantemos o diálogo aberto com representantes de todos os segmentos de ensino”, explicou a secretária de Educação de Ribeirão Pires, Rosi Ribeiro de Marco.

PARQUES FECHADOS

O Paço também determinou ontem que parques municipais fechem as portas hoje como medida para desmobilizar aglomerações. Até o dia 15 de março, o Parque Pérola da Serra – localizado no Jardim Pastoril –, e o Parque Oriental – no bairro Estância Noblesse – estarão fechados para visitação dos munícipes.

“Estamos seguindo todas as medidas necessárias para controlar a disseminação da doença em nossa cidade. Coloco toda a minha equipe à disposição da Secretaria de Saúde, caso necessite de apoio neste momento”, afirmou Claurício Gonçalves Bento, secretário de Juventude, Esportes, Lazer, Cultura e Turismo.
 

Comentários


Veja Também


Voltar