Setecidades

S.Caetano vai reativar hospital de campanha


A Prefeitura de São Caetano anunciou que vai reativar o hospital de campanha e irá adotar um ambulatório médico específico para atender exclusivamente profissionais da educação que tenham sintomas de Covid-19. As duas unidades ficarão no Hospital São Caetano, localizado no bairro Santo Antônio.

A estrutura de campanha foi desativada no fim de agosto, quando o número de casos da Covid arrefeceu. Diante do atual estágio da pandemia na cidade e o aumento de registros tanto no Grande ABC como em várias regiões do Brasil, a administração do prefeito Tite Campanella (Cidadania) optou por reabrir o equipamento. Serão investidos R$ 800 mil por mês de recursos do Tesouro municipal.

Serão 48 leitos de enfermaria à disposição da população, que ficarão no quarto andar do complexo hospitalar. Tite declarou ao Diário que a cidade, diferentemente de outros municípios da região, tem situação administrada com relação à taxa de ocupação – 60% de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 71% de enfermaria nas unidades públicas –, mas é preciso desafogar atendimentos de outras comorbidades que ficaram represados diante do olhar para os casos de Covid em boa parte do ano passado.

“Temos equipamento dentro do hospital com toda assepsia possível, com profissionais e insumos. Até quarta-feira o hospital de campanha será reaberto”, comentou Tite, que avisou também que o terceiro andar do Hospital São Caetano ficará de resguardo caso haja necessidade de ampliação do número de leitos de UTI.
<EM>Na primeira etapa de funcionamento do hospital de campanha, 100 leitos chegaram a ser abertos. Tite salientou que a internação da Prefeitura é reservar essas vagas adicionais de leitos de enfermaria de Covid a moradores de São Caetano. “Há uma certa invasão orgânica observada no nosso sistema de saúde, mas que não tem nos assustado. A abertura desses leitos serve para a gente ter uma margem de conforto no atendimento ao morador da cidade.”

De acordo com o boletim epidemiológico enviado ontem pela Prefeitura, São Caetano acumula 7.767 moradores contaminados e 399 mortes desde o início da pandemia. No período de 24 horas foram 40 novos casos e três óbitos. A cidade já imunizou 18.986 pessoas e se mantém como a que mais vacina proporcionalmente a população no Estado, com cobertura de 11,7% dos 161.957 habitantes imunizados pelo menos com a primeira dose – 4.348 já receberam o reforço. 

Cidade cria clínica para profissionais da educação

O prefeito de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania) também anunciou ontem a criação de um ambulatório exclusivo para atender profissionais da educação que tiverem sintomas do novo coronavírus. A unidade, também será instalada dentro do Hospital São Caetano, no bairro Santo Antônio, ficará à disposição exclusivamente dos cerca de 4.000 professores e demais trabalhadores do setor. A expectativa é que o equipamento de retaguarda seja aberto na segunda-feira.

O profissional da educação que tiver qualquer sintoma da Covid-19 precisará procurar a direção da unidade escolar, que fará o encaminhamento ao ambulatório especializado. O local terá disponíveis testagem e médicos para acompanhamento do estado de saúde do paciente. 

“Se houver confirmação (da Covid), ganhamos agilidade no bloqueio da célula do vírus, ou seja, podemos isolar a sala de aula e os alunos que tiveram contato com esse profissional”, comentou o prefeito. “Gostaríamos muito de poder vacinar nossos professores neste momento e demais trabalhadores da educação, mas temos de seguir rigorosamente o PNI (Plano Nacional de Imunização), sob risco de sofrer alguma sanção administrativa. Como não temos como vacinar ainda, vamos dar o máximo de atendimento possível”, emendou Tite.

As aulas presenciais em São Caetano voltaram, na rede particular, no dia 1º. A rede estadual regressou no dia 8 e a municipal, dia 11.
<Segundo o mais recente boletim epidemiológico da educação divulgado pela Prefeitura de São Caetano ontem, 51 pessoas do setor – entre professores, demais trabalhadores e alunos – tiveram diagnóstico positivo para a Covid-19. O montante representa 1,28% das 4.000 pessoas envolvidas no setor. Há ainda outros 120 casos suspeitos que aguardam a confirmação de exames e 44 casos notificados já foram descartados.

Comentários


Veja Também


Voltar