Setecidades

Internação por Covid em Santo André sobe 46% nos últimos 14 dias




O número de pacientes internados nos hospitais públicos de Santo André em decorrência da Covid saltou 46,6% nos últimos 14 dias. Eram 390 pacientes acamados no dia 8 de fevereiro e, ontem, de acordo com o boletim epidemiológico enviado pela Prefeitura, eram 572. A cidade puxa a alta no Grande ABC, que, mesmo com São Caetano recuando de 45 para 40 pacientes hospitalizados (-11,1%), acumula alta de 22% no período – veja os dados por cidade na arte.

O aumento no número de internados impacta diretamente na ocupação de leitos em Santo André. No CHM (Centro Hospitalar Municipal), 91% das vagas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estão ocupadas. Já nos hospitais de campanha a situação é um pouco menos dramática, mas ainda assim bastante preocupante. Na unidade do Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia a ocupação geral é de 83% e no equipamento montado na UFABC (Universidade Federal do ABC), para onde são levados os casos mais leves da Covid, é de 41%.

Outra cidade que tem suas vagas de UTI no limite é Mauá, que não divulga número geral de internados por dia, apenas percentual de ocupação dos leitos de emergência. Das 30 vagas disponíveis no Hospital Nardini para o tratamento da Covid ontem, apenas três estavam livres.

Em São Caetano os pacientes da Covid ocupam 58% das unidades intensivas, e 66% das enfermarias. Diadema informa que o índice de ocupação dos leitos sob gestão do município é de apenas 20%, apesar de ter passado de 376 para 402 pessoas internadas no último 14 dias.

Ribeirão Pires não possui leitos de UTI na rede pública municipal, encaminhando os moradores às cidades vizinhas. O município informa que há 26 pacientes internados no hospital de campanha, que tem ocupação geral de 63%.

Rio Grande da Serra também não possui leitos exclusivos para tratamento da Covid-19 e recorre, principalmente, aos centros médicos de Mauá. 

Comentários


Veja Também



Voltar