Memória

Em 1969, novos direitos políticos suspensos


 Se 1968 foi o ano da edição do AI-5 (Ato Institucional número 5), 1969 foi o ano de aplicação da medida, com cassações, perseguição à imprensa, censura e propaganda do regime militar

EDITORIAL
“O povo gostaria de saber as razões que levaram a revolução a cassar e a suspender os direitos de tantos parlamentares. Um deputado federal da região foi atingido pelo cutelo governamental.”
Diário do Grande ABC, 6 de fevereiro de 1969.

Nota – Mais de meio século depois, a coleção do Diário mostra que o jornal posicionou-se corajosamente em vários momentos do regime militar. Abriu espaço ao leitor. Acolheu comentários dos colaboradores. E enviou para o futuro que é hoje um panorama de época.
Seguem-se exemplos de notícias publicadas pelo Diário do Grande ABC em janeiro de 1969:

Entre os cassados,
Anacleto Campanella

Esquadrão da Morte
age no Grande ABC


Amedrontados, vereadores querem sair do MDB

461 – Carlos Lacerda cassado. Sei lá por quê. E, talvez, nem o próprio governo o saiba. Ou por outra: sei eu e o governo. Mas nem eu nem o governo vamos falar. Um porque não pode, outro porque não quer.
- O que já se fala é no aumento da gasolina, dos cigarros. E de tudo o mais. Mas, em compensação, o governo cassou Lacerda.
- Vai ver que o homem era o culpado. De alguma coisa. Por isso ele perdeu os direitos políticos. É claro que por ser inteligente é que ele não seria cassado. Ou seria?
-A Agência Nacional continua líder em audiência. No horário. É uma graça a Voz do Brasil. É uma graça o gaguejo nos discursos. Pena que não seja transmitido pela TV.
Da coluna Sem Sigilo, assinada por Odylla Jucah Junqueira, 1º de janeiro de 1969.
462 – Em 8 de janeiro a Polícia Federal apreendia 80 mil exemplares do jornal Correio da Manhã, do Rio de Janeiro, e prendia seus diretores. Editorial criticava os últimos atos do governo federal.
463 – O governo atenta contra a liberdade individual. Contra todos os conceitos de justiça e direito e ninguém diz nada, ninguém fala nada. Parece que a covardia tomou conta de todos os homens da imprensa deste País.
Agostinho Gonçalves, de Santo André, em carta publicada na seção Cartas à Redação, 11 de janeiro de 1969.
464 – Esquadrão da Morte fuzila dois em São Bernardo. Local: casa abandonada na Estrada do Montanhão.
Cf. edição de 15 de janeiro de 1969.
465 – Reunião do Conselho de Segurança Nacional, no Palácio Rio Negro, em Petrópolis, sob a presidência de Costa e Silva: são cassados os mandatos e suspensos os direitos políticos por dez anos de deputados e senadores, entre os quais Anacleto Campanella (MDB de São Caetano), Mario Covas (MDB de Santos) e Cunha Bueno (Arena, líder autonomista de São Caetano).
Cf. edição de 17 de janeiro de 1969.
466 – Militares expunham no hall dos ‘Diários Associados’ material apreendido na USP e considerado subversivo. A 2ª Divisão de Infantaria organizava a mostra: armas, folhetos, livros e propaganda pela liberdade sexual, capas da Veja, coquetéis molotov, cartazes de Che Guevara.
n Vereadores eleitos pelo MDB pretendem transferir-se para a Arena. Pertencer ao partido da oposição, segundo alguns, não é a melhor coisa a fazer no momento, levando-se em consideração que a maioria dos cassados era do “mandabrasa” (apelido do MDB).
Cf. edição de 18 de janeiro de 1969.
467 – Os meios políticos de Santo André esfriaram. A atual situação é delicada. As cassações são imprevisíveis e surpreendentes. Levam os vereadores ao silêncio quase absoluto.
Da coluna Sem Sigilo: já começaram a falar do novo listão. Dá dó ver esses políticos amedrontados ante a iminência da cassação.
Cf. edição de 19 de janeiro de 1969.
468 – Anunciadas as prisões de Caetano Veloso e Gilberto Gil, no auge do tropicalismo.
Cf. edição de 22 de janeiro de 1969.
469 – Esquadrão da Morte mata mais dois na região: Gilson e Chicão, na Estrada de Diadema, em Eldorado.
Conselho Permanente de Justiça da 1ª Auditoria da Marinha decreta a prisão preventiva de deputados cassados, jornalistas, militares, professora da PUC (Pontifícia Universidade Católica) e radialistas, todos denunciados por atividades subversivas na Guanabara
Cf. edição de 29 de janeiro de 1969.
470 – Contrarrevolução: Exército investiga explosivos encontrados no Jardim Canhema, em Diadema.
Cf. edição de 30 de janeiro de 1969.

ASSIM...
- Conselho de Segurança Nacional continuava cassando mandatos de deputados eleitos.
- Esquadrão da Morte continuava matando no Grande ABC – casos de China e Nego do Roque.
- Nos quartéis locais, os jovens que cumpriam serviço militar (Tiros de Guerra) eram orientados a reforçar a segurança. “Atirem para assustar, mirando no meio da testa”, orientavam os comandantes.
- Viviam-se os anos de chumbo, com os generais Costa e Silva e Garrastazu Medici.
- O Grande ABC teria pelo menos dois mártires: Heleny Guariba e Olavo Hansen.
- E naquele 1969 haveria eleições municipais em Mauá e Ribeirão Pires

Diário há meio século

Domingo, 21 de fevereiro de 1971 – ano 13, edição 1467

Rio Grande da Serra – Em cerimônia simples e tocante realizada na manhã de ontem (20 de fevereiro de 1971) na igreja de Nossa Senhora de La Sallete, Geraldino Loti filho, o mais jovem prefeito da região, contraiu núpcias com a senhorita Maria Lúcia Luminatti.

Em 22 de fevereiro de...

O ensino público do Estado de São Paulo é reformado. Na região, o professor José Augusto Leite Franco, diretor do Grupo Escolar de Santo André, tem sua área de atuação ampliada: além de Santo André, a Vila de São Bernardo e a linha Pilar (Mauá), Ribeirão Pires, Rio Grande (da Serra), Campo Grande e Paranapiacaba.

Município paulista

Hoje é o aniversário de São Pedro, elevado a município em 1881, quando se separa de Piracicaba.

Santos do dia

- Igreja celebra a Cátedra de São Pedro

- Abilio

Hoje

Dia da criação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais), conforme lei federal de 22-2-1989.

Comentários


Veja Também


Voltar