Memória

Pequenina. Mochila às costas. Ela quebra dois tabus


Há 20 anos, em 15 de fevereiro de 2001, a advogada e professora Eliana Borges Cardoso tomava posse como diretora da Faculdade de Direito de São Bernardo. Um marco: a primeira mulher a ocupar tal cargo.
Duas décadas depois, quando a instituição celebra 56 anos e passa por momentos difíceis, sem muita certeza de como será o seu futuro, professora Eliana – que continua a lecionar na mais antiga Faculdade de Direito do Grande ABC – ainda é a primeira e única presença feminina que esteve à frente da entidade.
“Num período em que a Faculdade de Direito de São Bernardo passa por um momento delicado, de tentativa de intervenção do Executivo municipal para tirar-lhe a autonomia, essa data acaba sendo a lembrança de que a faculdade não conseguiu superar a cultura patriarcal no que tange à sua direção”, analisa a professora Eliana.
“O corpo discente já é formado por maioria do sexo feminino, mas o corpo docente é majoritariamente masculino e isso se reflete no cargo diretivo máximo da instituição”, acrescenta.
Outra constatação, que também poderia ser diferente: Eliana Borges Cardoso é a única egressa dentre os egressos da Faculdade de Direito de São Bernardo a ocupar o cargo. Todos os diretores que passaram são formados em outras instituições.
“Gostaria de dizer que sou uma dentre tantas, mas lamentavelmente não é possível”, arremata a ex-diretora.

SONHOS NA BOLSA E NO CORAÇÃO...
Professora Eliana é também memorialista. Ao pedido de Memória, ela vasculhou seus guardados. Localizou fotos, o vídeo da sua posse e o discurso que pronunciou ao assumir. O discurso é verdadeiramente uma peça literária que focaliza nomes de educadores do porte do professor Diógenes Gasparini.
Quando ela se refere à mochila que carregava, marca um verdadeiro gol de placa:
- Muitos devem se perguntar:
– Mas o que ela traz naquela mochila?
- Na minha mochila... eu trago... sonhos. Sonho com uma instituição de ensino democrática, aberta à comunidade, inspirada nos princípios da liberdade, da solidariedade e que cumpra seu dever social de preparar o aluno para o exercício da cidadania.

FEMINISMO
- Quando esta faculdade foi concebida em 1965, o arquiteto projetou uma sala de professores sem banheiro para as mulheres. Não se concebia que uma mulher pudesse dar aulas na Faculdade de Direito de São Bernardo.
- Hoje (2001), nós somos 17 mulheres, quase 30% do corpo docente. Ainda é pouco, mas, pelo menos, eu garanto que no prédio novo, cuja construção foi comandada pelo professor Diógenes Gasparini, o banheiro das mulheres foi construído, e é maior que o dos homens, o que mostra que, além de visionário, o professor Gasparini é também um feminista.

CONDIÇÃO SOCIAL
- Os pobres também deram um grandioso passo, (...) porque eu não sou de família tradicional da cidade, nem de tradição jurídica.
- Minha mãe saiu cedo da escola (...) uma família de oito irmãos. Eu fui a primeira a ter acesso à faculdade, e por isso devo agradecer publicamente ao meu ex-vigário, o frei Luiz Favaron, aqui presente, que encontrou-me chorando na igreja porque eu não tinha dinheiro para pagar a matrícula na faculdade.
- Ele proveu a minha matrícula. E defendeu junto à Caritas, de Pádua, na Itália, um pedido de ajuda para que eu pudesse aceitar um convite da Universidade de Milão para continuar os meus estudos.

NOTA
É um rico discurso o da professora Eliana. Uma oração. Publicamos na íntegra no Facebook da Memória. É só acessar o endereço que está no alto da página. Vocês vão gostar.

Diário há meio século
Sexta-feira, 19 de fevereiro de 1971 – ano 13, edição 1465
Manchete – Estudantes invadem o Quartier Latin
Paris (AFP) – Milhares de estudantes secundários manifestaram-se ontem (18 de fevereiro de 1971), em vários bairros de Paris, apesar da proibição oficial.
- O ‘Quartier Latin’ (bairro latino) foi tomado.
- Os jovens reclamaram a libertação de alguns companheiros detidos e em especial de Gilles Guiot, condenado na semana passada a três meses de prisão.
Cinema – Sob nova direção, os cines Tangará e Tamoio, de Santo André, anunciavam a exibição de filmes atualizados e simultâneos com a Capital.

Em 19 de fevereiro de...
1921 – Circula o primeiro número de um novo diário em São Paulo, a Folha da Noite, com vários redatores que foram da extinta edição da noite de O Estado de S. Paulo.
Nota – Era a semente da atual Folha de S. Paulo.
- Oito rapazes partem, a pé, do Centro de São Paulo em direção a Santos, cruzando a região: Carlos Suplicy Marcondes, Fernando Guarinielli, Francisco Donatelli, Francisco Paulo Medici, Nicola Rizzo, Paulo da Silveira, Pedro Fortunato e Raphael Guariniello.
1951 – Historiador Wanderley dos Santos nasce em São Paulo. Escreveu Antecedentes Históricos do ABC Paulista: 1550-1892, obra básica da história local.
1956 – Oito casas ruíram em São Bernardo por causa do forte temporal, cinco na Vila Vivaldi e três em Rudge Ramos. O Ribeirão dos Couros transbordou.
1986 – A Prefeitura de Santo André e a firmas Demétrio & Luchesi – Escritório Técnico de Engenharia Estrutural – assinam contrato para elaboração do projeto do Parque Municipal em área de 626 mil m² na Avenida Pereira Barreto.
Nota – Estava nascendo o atual Parque Central.

Hoje
- Dia do Esportista.

Santos do dia
- Conrado de Placência ou Piacenza. Frei. Viveu 40 anos na oração e na penitência. Morreu a 19 de fevereiro de 1351.
- Álvaro de Córdoba.
- Gabino.
- José Antonio de Maria Ibiapina. Padre (Sobral, Ceará, 1806-1883). Evangelizou do Piauí a Pernambuco. Fundou colégios, hospitais, capelas, igrejas, cemitérios e açudes no Nordeste brasileiro.

Municípios paulistas
- Hoje é o aniversário de Osasco, Taboão da Serra, Severínia e Tapirai.

Comentários


Veja Também


Voltar