Palavra do Leitor

Cidades inteligentes


A tecnologia está impulsionando o surgimento de cidades inteligentes, transformando tudo, desde a gestão do tráfego à coleta de lixo. Observamos revolução digital que está dando origem a cidades mais conectadas, sustentáveis e eficientes. E é isso que vem acontecendo em São Caetano. As cidades estão evoluindo em ritmo rápido. Mais da metade da população mundial atualmente vive em áreas urbanas. Em 2050, esse número deve saltar para 68%, de acordo com a ONU (Organização Nações Unidas). Junto com população crescente, novos desafios estão surgindo à medida em que as cidades buscam melhorar tudo, desde infraestrutura até conectividade. Muitos veem isso como oportunidade de negócio viável, desenvolvendo tecnologia para ajudar as cidades a fornecerem de forma eficiente base adequada, energia, transporte, recursos, empregos e serviços para seus residentes.

Como resultado, as cidades estão passando por transformação digital – tornando-se cidades inteligentes. O tamanho do mercado global de cidades inteligentes está projetado em US$ 1,3 trilhão, de acordo com especialistas e estudos. Vários players, de gigantes da tecnologia a empresas de telecomunicações e governos, estão trabalhando em iniciativas para tornar as cidades mais inteligentes e eficientes. Além disso, na esteira da Covid-19, várias regiões alavancaram a tecnologia de cidades inteligentes para rastrear contratos e controlar epidemias, como em São Caetano, que tornaram o município referência nesse combate. É ação diária observar o que são cidades inteligentes, os vários componentes da cidade que estão se tornando cada vez mais conectados, os participantes do ecossistema, os desafios emergentes e o que o futuro reserva.

Como exemplo no nosso município temos o prontuário eletrônico, a telemedicina, uma das melhores plataformas educacionais para alunos e professores, e a ANA, que é um chatbot que utiliza a inteligência artificial na Secretaria da Fazenda e que terá ampliado o escopo dentro dela e para outras secretarias. E em breve vamos começar um trabalho com um API (Arranjo Produtivo de Inovação) para cidades inteligentes e GovTechs. O desenvolvimento e a implementação de sistemas de tecnologia inteligente em todas as cidades do mundo são tendência inevitável para ajudar as cidades a se tornarem mais eficientes e sustentáveis. Com algumas das maiores empresas, organizações e governos trabalhando juntos para investir e desenvolver cidades inteligentes, podemos esperar que as áreas urbanas continuem a evoluir e se transformar com o tempo. Isso deve permitir que a cidade se torne ambiente mais sustentável e eficiente para seus moradores. E é assim que trabalhamos em São Caetano.

Luiz Gustavo Morcelli é subsecretário municipal de Tecnologia e Inovação de São Caetano.


PALAVRA DO LEITOR

Daniel Lima
Daniel Lima, pronta restituição é o que desejamos, já que foi vítima de violência (Setecidades, ontem). Você, aos 70 anos, ainda tem muito a contribuir para o desenvolvimento da região – sua grande marca de vida.
Alexandre Takara
Santo André

Ademir Medici
Como sou ‘medicinete’, assino embaixo a missiva enviada pelo leitor ‘batateiro’ Gonzaga do Monte, publicada neste prestigioso Diário (Palavra do Leitor, dia 30), enaltecendo o brilhantismo e primor do jornalista e escritor – prata da casa – Ademir Medici, bem como o empenho deste influente Diário em deixar os ‘diarionetes’, de maneira imparcial, sempre bem informados!
João Paulo de Oliveira
Diadema

Bolsonaro
Além de negacionista, será o atraso da compra das vacinas pelo presidente da República meio de evitar o povo na rua contra seu governo e pedindo o seu impeachment? Melhor comprar o Congresso!
Tânia Tavares
Capital

Bola de neve
Sobre a reportagem ‘Sindema alivia e Câmara aprova parcelamento com o Ipred’ (Política, dia 30), o empréstimo não foi quitado e acabou se transformando em bola de neve. Só não está maior essa bola porque em 2002 o próprio José de Filippi Júnior fez acordo de parcelamento da dívida até 2037, dando ao Ipred (Instituto de Previdência de Diadema), como parte de pagamento, o imóvel onde funciona hoje o Poupatempo, na Rua Amélia Eugênia, 397, região central da cidade. Os 21 vereadores deram a Filippi oportunidade de quitar parte da dívida em suaves prestações mensais até 2038. O petista, cumprindo fielmente o que foi aprovado na Câmara Municipal, apenas reduzirá essa dívida para nove anos. Se no passado Filippi teve que recorrer ao Ipred para cobrir a folha de pagamento do funcionalismo público, onde será que ele irá encontrar meios de melhorar a receita pública em época de crise econômica provocada pelos efeitos da pandemia da Covid?
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema

Rodrigo Maia
Deus escreve certo em linhas tortas. Enquanto Rodrigo Nhonhô Maia lamenta, chorando a sua merecida derrota, os brasileiros patriotas e apoiadores do presidente Bolsonaro fazem o céu pipocar de tantos fogos e se esbaldam de tanta alegria. Rodrigo Nhonhô Maia, não se esqueça de que a justiça divina não falha, é diferente das suas ações traiçoeiras e apoiadas em tanto interesse até por alguns ministros da nossa Suprema Corte e governadores que usam das suas forças para perseguir adversários. Isso não sou eu quem afirma, são os fatos nacionalmente divulgados e conhecidos pelos brasileiros.
Benone Augusto de Paiva
Capital

Volta às aulas
Na reportagem ‘Sete a cada dez médicos aprovam volta às aulas’ (Setecidades, ontem), gostaria de saber se esses profissionais estão falando como cientistas, como médicos ou como pais, avós, netos ou bisnetos. Querem que as crianças e adolescentes voltem às aulas? Então, pressionem como médicos pela vacinação urgente dos professores e alunos. Na Europa, que já adotou a volta das aulas e teve de rever seus procedimentos em menos de uma semana, a pandemia aumentou violentamente e em crianças e adolescentes. Será que esses médicos souberam disso?
Alberto Utida
Capital 

Comentários


Veja Também


Voltar