Setecidades

Maioria dos pais de São Caetano pretende mandar os filhos para as aulas


A Prefeitura de São Caetano divulgou pesquisa sobre a intenção acerca da retomada das aulas presenciais na cidade. A maioria dos entrevistados pretende mandar os filhos para as escolas (veja detalhes abaixo). De acordo com o Paço, o resultado da enquete, realizada entre os dias 25 e 29, permitirá à Secretaria de Educação organizar a volta com o necessário distanciamento entre os alunos e segurança para a comunidade escolar. Haverá rodízio de estudantes e horários diferenciados para entrada e saída das turmas e, também, para os intervalos.

A previsão do retorno das aulas presenciais no Grande ABC é no dia 18 de fevereiro na rede particular e no dia 1º de março na rede pública no Grande ABC, de acordo com o último acordo firmado pelos prefeitos no Consórcio Intemunicipal. A exceção, por enquanto, é Rio Grande da Serra (leia aqui), onde as aulas foram suspensas por prazo indeterminado. Na Capital, a volta das escolas particulares foi nesta segunda-feira (1º), leia aqui .

Confira as respostas por etapa de ensino em São Caetano:

Fundamental
Do total de 8057 respostas, 53,6% responderam que sim, enviarão seus filhos às aulas presenciais.

Médio
Nas duas escolas de Ensino Médio participantes da pesquisa, a Escola Municipal de Ensino (EME) Professora Alcina Dantas Feijão e Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio (EMEFM) Arquiteto Oscar Niemeyer, prevaleceu a resposta negativa. No Alcina, 52,4% dos pais ainda não enviarão seus filhos às aulas presenciais e no Oscar Niemeyer, 51% .

Infantil
Responderam a pesquisa 1326 pais ou responsáveis. Desse total, 55,8% afirmaram que enviarão seus filhos à escola a partir do início das aulas presenciais.

Educação Profissional Técnica(EPT)
O sim foi maioria. Segundo a pesquisa, 51,4% dos alunos da EPT pretendem retomar as aulas presenciais.

Educação de Jovens e Adultos(EJA)

Prevaleceu o não: 56,7% dos alunos não pretendem retomar as aulas presenciais em fevereiro e março.

A elaboração da pesquisa e tabulação dos dados contou com o apoio do Cedigi, Centro de Pesquisa, Formação e Inclusão Digital de São Caetano do Sul.

Comentários


Veja Também


Voltar