Política

PT expulsa Tião Mateus após nomeação no gabinete de Alex


O diretório do PT de São Bernardo aprovou a expulsão do ex-vereador Tião Mateus dos quadros do partido. A deliberação passou por crivo da executiva da legenda, que se reuniu na manhã sexta-feira (29).

A expulsão se dá pelo fato de Tião ter sido nomeado secretário parlamentar no gabinete do deputado federal Alex Manente (Cidadania), como mostrou o Diário nesta quinta-feira (28). O presidente do PT municipal, Cleiton Coutinho, já havia adiantado que Tião seria ejetado da sigla de forma sumária – ou seja, sem nem sequer ser ouvido a respeito.

O petista, cujo salário bruto é de R$ 5.271,20 brutos (sem contabilizar eventuais benefícios) no posto vinculado à Câmara Federal, foi vereador de São Bernardo por cinco mandatos. Em 2020, computou 2.259 votos, ficando sem a reeleição – é o primeiro suplente do PT, que elegeu Joilson Santos, Ana do Carmo, Getúlio do Amarelinho e Ana Nice.

Com a decisão do diretório, a expulsão antecede o desfecho da apuração na comissão de ética sobre Tião. Ele foi denunciado por militantes do partido pelo fato de não pagar a contribuição partidária – a dívida chega à casa dos R$ 100 mil – e por aparecer em vídeo ao lado do prefeito Orlando Morando (PSDB) e elogiando o tucano durante entrega de escrituras no Jardim Ipanema, no Grande Alvarenga, reduto eleitoral do ex-parlamentar.

Integrante do diretório e da executiva do PT, além de assinar denúncias contra a conduta de Tião dentro do partido, Paulo Araújo argumentou que “não houve surpresa, por parte da militância” a nomeação do ex-vereador no gabinete de Alex, adversário do petismo em São Bernardo.

“A gente já sabia que era isso que ele tinha a oferecer. Nos últimos anos estava nítida a falta de compromisso e comprometimento dele com o partido. É a velha política. Acho que é o melhor que pode fazer é deixar o partido e se aliar com quem ele quiser. É um alívio não ter de lidar com pessoa assim, sem comprometimento e responsabilidade”, alegou Araújo, que se candidatou à Câmara no ano passado.  

Em nota, o partido que "a deliberação tem entre as várias motivações, a total falta de conduta ética compatível com o estatuto do Partido dos Trabalhadores, como ausência de contribuição partidária, alinhamento com forças conservadoras adversárias ao projeto político partidário e que atacam os direitos do povo de São Bernardo do Campo, além dos processos disciplinares em trâmite junto à Comissão de Ética e Disciplina do PT de São Bernardo em desfavor do referido filiado, e diante da evidente ausência de forma constante de uma conduta ética para com o nosso Partido. Ninguém pode desrespeitar à nossa Militância e o nosso Partido. E ao agir dessa forma, o filiado Tião Mateus determinou a presente decisão unânime da nossa Direção Executiva."

Comentários


Veja Também


Voltar