Setecidades

"É um momento de esperança", descreve primeira profissional imunizada de São Bernardo


Técnica de enfermagem, Alice Santana de Souza, 60 anos, foi a primeira profissional da saúde a ser imunizada contra a Covid-19, em São Bernardo. Alice trabalha na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) São Pedro há 11 anos e foi escolhida por integrar o grupo de risco. Além de atuar na linha de frente, é cardíaca. 

Emocionada após a vacinação, Alice comenta que nunca imaginou ficar de frente com uma pandemia e destaca suas expectativas em ver toda população vacinada. "O momento que estamos significa de fé e esperança. Agora, estamos caminhando para nosso antigo normal e com a vacinação, foi só o início", destaca. A profissional tem dois filhos e ainda mora perto de sua mãe, aposentada e diabética com 85 anos, Santana lembra de todos cuidados que manteve para visitar - e cuidar - de sua mãe. "O meu medo era levar o vírus até ela, então, todo cuidado era pouco", destaca. Alice não testou positivo para a Covid-19 até o momento e relaciona o êxito ao intenso cuidado que manteve em sua rotina. 

Assim como Alice, a enfermeira Priscilla Lima de Oliveira, 37, e a fisioterapeuta Camila Cristina Ortiz, 42, também receberam a primeira dose da Coronavac, neste primeiro dia. Agora, pós 21 dias, as profissionais receberão a segunda dose que ainda deve chegar na cidade. A vacinação foi iniciada no HU (Hospital de Urgências), no Centro, da cidade. 

LOTE
O município recebeu 11.840 doses da Coronavac nesta primeira etapa, que, segundo o prefeito da cidade, Orlando Morando (PSDB), serão destinadas aos profissionais de saúde que seguem na linha de frente, idosos em casas de repousos - públicas e privadas - e indígenas. Na cidade, serão cerca de 1.000 idosos imunizados nas próprias casas de repousos, a partir desta quarta-feira (20), 100 índios das aldeias Guyrapa-ju e Brilho do Sol- Kuaray Rexaká, também vacinados no local em que moram a partir de amanhã, e cerca de 10 mil profissionais que serão vacinados até sexta-feira (22), nos próprios hospitais como o HU, Central e Anchieta. 

O número de doses recebidas no município corresponde a 20% da quantidade necessária para vacinar todo grupo prioritário na primeira fase, que soma média de 30 mil pessoas. "Muito importante reforçar que iniciamos a vacinação das 11.840 doses, lembrando que temos uma população perto dos 850 mil habitantes, então, neste momento, não temos vacina disponível para todos. Vamos priorizar agora os profissionais linha de frente da Covid-19", declara Morando. 

"A quantidade não é tão significativa mas diante disso, vamos priorizar os grupos de profissionais da saúde, que atendem exclusivamente pacientes com a Covid, sendo funcionários que trabalham em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) e UPAs, enfim, todos profissionais, de hospitais públicos e privados, além dos idosos em casa de repousos e os indígenas. Conforme as doses forem chegando, vamos ampliando", complementa o secretário de Saúde, Geraldo Reple.

 

Comentários


Veja Também


Voltar