Setecidades

Vacinação contra a Covid-19 começa nesta terça-feira na região




A região começa a imunizar nesta terça-feira (19) os profissionais de saúde e indígenas contra a Covid-19. A estimativa do prefeito de Santo André e presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, Paulo Serra (PSDB), é a de que 82 mil doses da Coronavac sejam enviadas pelo governo do Estado e cheguem por volta das 10h nos centros de distribuição das sete cidades. No mesmo horário, os prefeitos da região vão se reunir virtualmente no colegiado para definir locais e horário para que a imunização aconteça de forma simultânea em toda região.

O envio das doses será feito de forma proporcional aos municípios, levando em consideração a população e o público-alvo da primeira fase, que são profissionais de saúde e indígenas – leia mais sobre as próximas fases na página 3. Assim, a expectativa é a de que São Bernardo receba 24.629 doses, Santo André 21.038, Mauá 13.928, Diadema 12.446, São Caetano 4.723, Ribeirão Pires 3.621 e Rio Grande da Serra 1.500.

“Estamos muito felizes por iniciar a campanha de imunização. É o primeiro passo para a vitória em uma guerra que está longe de terminar. Importante dizer para a população que mesmo com a chegada da vacina não acabou a pandemia, é preciso ter responsabilidade. Ainda não tem vacina para todo mundo, serão duas doses para cada pessoas e temos que manter a precaução e continuar se protegendo até que toda a população esteja imunizada. Amanhã (hoje) será um dia importante, histórico e que estamos aguardando há muito meses”, comentou Paulo Serra.

O presidente do Consórcio acredita que se o Instituto Butantan, parceiro do laboratório chinês Sinovac Biotech na produção da Coronavac, conseguir produzir pelo menos 1 milhão de doses semanais e enviar cerca de 60 mil a cada sete dias para o Grande ABC não haverá interrupção da campanha, caso contrário as doses serão insuficientes. “Estamos preparados para vacinar. Vamos abrir quantos postos forem necessários para imunizar o quanto antes a população da região”, garantiu o tucano.

Paulo Serra explicou que, neste momento, não será possível comprar doses extras da Coronavac para imunizar outras pessoas que não estão no grupo prioritário da campanha, como os professores, por exemplo, que integram a quarta fase do PNI (Plano Nacional de Imunização). Ainda assim, está mantida a reabertura das escolas particulares para o dia 18 de fevereiro, e as públicas a partir do dia 1º de março.

“Pensamos em comprar doses extras em um segundo momento. Estamos longe de ter vacina para isso agora e não vejo essa possibilidade em curto prazo. Se houver outras vacinas liberadas pela Anvisa e pudermos importar é uma possibilidade, o Consórcio tem capacidade financeira para isso”, explicou Paulo Serra. “As crianças têm poucos casos de agravamento da Covid, mas podem contaminar avós e pais quando voltam para casa da escola. Por isso que esse início é focado nos adultos e isso dá mais tranquilidade para a retomada das aulas”, argumenta o prefeito.

Paulo Serra acredita que, apesar de vivermos um pico da doença, a tendência é a redução de casos em fevereiro. “Estamos percebendo que a circulação de pessoas em janeiro é menor do que a registrada em dezembro, quando muitas pessoas saíram para as compras. Então, a tendência é que os números regridam a partir de fevereiro, o que também nos dá mais tranquilidade para a retomada gradual do ensino presencial na região”, finalizou o tucano.

Os profissionais que se encaixam no perfil do primeiro grupo podem fazer pré-cadastro no siite www.vacinaja.sp.gov.br.

Comentários


Veja Também



Voltar