Política

S.Caetano paga R$ 1.753 per capita para a FUABC




Das três cidades mantenedoras da FUABC (Fundação do ABC), São Caetano é o município que mais transfere recursos para a entidade regional no quesito per capita. Com 161.957 habitantes, São Caetano repassou, neste ano, R$ 283,9 milhões. Significa que R$ 1.753,03 por morador foram pagos para a FUABC.

O número é quase o dobro do registrado pela segunda cidade da lista. São Bernardo depositou R$ 776,9 milhões para a Fundação neste ano, de acordo com o Portal da Transparência. Com 844.483 munícipes, a cidade registrou R$ 920,08 per capita para manter e honrar com o contrato de gestão firmado com a instituição.

A FUABC é administrada atualmente por Adriana Berringer Stephan, que assumiu a função em janeiro por indicação justamente da Prefeitura de São Caetano. Adriana sucedeu Luiz Mario Pereira de Souza Gomes, apadrinhado pelo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

Em Santo André, terceiro município mantenedor da FUABC e onde a Fundação está fisicamente instalada, na Vila Príncipe de Gales, o custo per capita do contrato da FUABC é de R$ 543,51 – neste ano, a administração andreense transferiu R$ 392 milhões e a população da cidade é de 721.368 habitantes.

Além de manter a FUABC, as três prefeituras detêm acordos de gestão dos equipamentos de saúde com a Fundação. A entidade é responsável pelos serviços nos principais hospitais das três cidades – como CHM (Complexo Hospitalar Municipal) e Hospital da Mulher, em Santo André; Hospital de Clínicas, em São Bernardo; e Complexo Hospitalar de São Caetano. Com quadro de 22 mil colaboradores, a Fundação tem receita de R$ 2,3 bilhões, oriundos também de acordos com outras cidades – mas Santo André, São Bernardo e São Caetano são mantenedoras e, por isso, se revezam no comando do órgão.

A Prefeitura de São Caetano declarou que “os valores do vínculo são vantajosos do ponto de vista técnico e econômico, visto que novos serviços de saúde foram inclusos”. “A qualidade dos serviços prestados foi demonstrada durante os ações de combate à pandemia do coronavírus, oportunidade em que São Caetano está sendo referência nacional e internacional no enfrentamento à Covid-19.”<EM>

Por nota, o Paço de São Bernardo informou “que está previsto no orçamento de 2021 investimento de R$ 866,5 milhões em contrato com a FUABC. O valor por habitante é considerado bom, se comparado com as demais cidades do País, porém, insuficiente, ainda mais no momento de pandemia que o mundo atravessa”.

Já a gestão de Santo André alegou que “independentemente da relação com a FUABC, os valores despendidos são os necessários para a política municipal de saúde, portanto, há expectativa de incremento nos gastos com saúde, especialmente no quadro pós-pandêmico”. “O valor de R$ 543 é o disponível incrementado por outra parcela para o financiamento das ações e de programas assistenciais da política pública de saúde.” 

Comentários


Veja Também



Voltar