Política

Sindicato avisa que vai ingressar no MP contra pressão de Lauro


O SindSaúde ABC (Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Privados de Saúde do Grande ABC) informou que vai ingressar com representação no Ministério Público para apurar a conduta do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), após virem à tona áudios atribuídos ao verde nos quais há pressão explícita para que funcionários comissionados da saúde municipal façam campanha a favor do prefeiturável governista, o presidente da Câmara, Pretinho do Água Santa (DEM).

A entidade, que representa trabalhadores do setor, criticou o chefe do Executivo diademense e pediu para que colaboradores de outras cidades que estejam se sentindo coagidos a participarem do pleito deste ano denunciem.

“Estamos tomando todas as medidas jurídicas possíveis e cabíveis. É inadmissível que políticos obriguem trabalhadores a fazer campanha política em troca da manutenção no cargo. Vamos enviar ofício à Prefeitura de Diadema solicitando esclarecimentos sobre a denúncia e também vamos entrar, por meio de nosso departamento jurídico, com representação junto ao Ministério Público, para que o órgão apure a denúncia com todo rigor e que, ao nosso ver, caracteriza assédio moral (constrangimento)”, disse o presidente do SindSaúde ABC, Almir Rogério Mizito. A nota também é assinada pela diretoria da entidade.

Na segunda-feira foram tornados públicos áudios atribuídos a Lauro de conversa com o secretário de Saúde da cidade, Luís Cláudio Sartori. No diálogo, o verde não esconde seu descontentamento com o pouco engajamento de servidores da área na campanha de Pretinho. Cobra, inclusive, presença do secretário na empreitada e insinua que pode exonerar quem não aderir ao projeto do democrata, seu escolhido na busca da sucessão.

“Claudinho, pelo amor de Deus. Você organiza essa equipe aí. Quero volume da saúde na campanha do Pretinho e da Regina (Gonçalves, PV, vice), a partir de já. Terça-feira tem atividade de rua às 17h. Tem atividade de rua todos os dias a partir das 17h com Pretinho e Regina, que esse grupo vai ter que ir. E aos fins de semana também. Se não sabe pedir votos, tem de carregar bandeira. Se não sabe carregar bandeira, vai entregar papel. Se não sabe dar o papel, vai limpar o banheiro. Se não sabe limpar o banheiro, meu amigo, vamos ver o que vamos fazer. Quero esse povo na rua pedindo voto para o Pretinho. Tudo cargo em comissão, Cláudio. Se vira nos 30 aí, pode vir para a campanha, irmão”, comentou.

Ontem, Lauro disse não reconhecer sua voz nos áudios vazados e classificou a informação como “supostamente fake”. “Em momento algum nos meus 16 anos de vida pública, e no áudio em questão, tratei as pessoas com constrangimento, pois sempre conquistei o apoio com respeito.”

O SindSaúde ABC encerrou sua nota de repúdio ao prefeito de Diadema com alerta: “Por fim, o SindSaúde ABC reafirma que vai recorrer a todos os órgãos possíveis e imagináveis e tomar as providências necessárias para que governante algum, de qualquer município do Grande ABC, possa fazer o que supostamente Lauro Michels está fazendo em Diadema”. 

Comentários


Veja Também


Voltar