Cena Política

Atila e Marcelo celebram confusão


A quatro meses da eleição, o cenário político de Mauá continua indefinido. A crise pela qual o governo Atila Jacomussi (PSB) atravessou – com prisões e impeachment do prefeito – mobilizou uma dezena de candidatos à sua sucessão. Com o passar do tempo, o que se esperava era que alguns nomes fossem desistindo, unindo forças, para criar maior viabilidade eleitoral. Não é o que acontece em Mauá até aqui. E, se esse prisma se consolidar, Atila e o pré-candidato do PT ao Paço, vereador Marcelo Oliveira, tendem só a ganhar. Atila acredita ser possível ser reeleito, mas, para isso, precisa encarar o PT no segundo turno. Marcelo tem leitura semelhante, mas com vitória dele, claro. Uma terceira via consolidada, avaliam as duas forças, fatalmente venceria se chegar à reta final da eleição.

Apoio
Ex-secretário no governo de Gabriel Maranhão (Cidadania), Gilvan Mendonça (PDT) anunciou ontem apoio à pré-candidatura a prefeito do ex-vereador Claudinho da Geladeira (Podemos). Gilvan se colocava como prefeiturável neste ano. O apoio foi declarado em vídeo divulgado nas redes sociais. “É um grande amigo. Moramos no mesmo bairro, estudamos na mesma escola, fomos vereadores juntos. Estou declarando que, junto com Claudinho, estamos juntos por Rio Grande”, disse o agora ex-pré-candidato, ao lado do irmão, o vereador Israel Mendonça (PDT). A decisão de Gilvan, entretanto, não passou pelo coordenador regional do PDT, Júnior Orosco, que bancou a filiação e a pré-campanha de Gilvan até aqui.

Pré-candidatura
Presidente do PCdoB de São Bernardo, Jorge Costa decidiu ser candidato a vereador neste ano. A legenda estará no arco de aliados do pré-candidato do PT à Prefeitura, o ex-prefeito Luiz Marinho, depois de o único vereador eleito pela sigla em 2016, Gordo da Adega, ter saído da agremiação (foi ao Republicanos) para seguir na base de apoio do atual prefeito Orlando Morando (PSDB).

Liga para mim
Pré-candidato do PSB à Prefeitura de Santo André, Ailton Lima foi questionado, durante uma live, sobre o fato de o PMB, sigla que estava em seu rol de aliados, decidir abandoná-lo para apoiar a tentativa de reeleição do prefeito Paulo Serra (PSDB). Ailton disse lamentar a perda. “Tenho amizade com o (vereador) Tonho Lagoa (do PMB andreense). Estou aguardando até agora ele me dar uma ligada, falar alguma coisa. Também se não ligar, paciência. Deve estar, talvez, incomodado, quem sabe constrangido de ter que dar notícia, já depois que veio por meio da imprensa”, comentou.

Vice – 1
A informação de que o vereador Jander Lira (DEM) poderia ser vice na chapa encabeçada pelo pré-prefeiturável do PSD de São Caetano, Fabio Palacio, não foi bem digerida pelo grupo que dá suporte ao pessedista. Não à toa que o ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM), a este Diário, disse que estaria na briga para ser o número dois na chapa – Pinheiro tem mais recall eleitoral do que Jander, o que poderia impulsionar a candidatura de Palacio.

Vice – 2
Não era a vontade do ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM) em participar, nas urnas, do pleito deste ano em São Caetano. Tanto que as negociações – que seguem, não estão fechadas – sobre a chapa envolvem outros espaços. Filha do ex-prefeito, Gica Pinheiro, uma das coordenadoras da pré-campanha de Fabio Palacio (PSD), teria comentado ao grupo que seria preciso reservar espaço no primeiro escalão para Jander Lira (DEM) e garantir que seu pai, médico, tivesse vaga na Secretaria de Saúde. 

Comentários


Veja Também


Voltar