Economia

Declarações chegam a 718,4 mil no Grande ABC


O número de declarações do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) 2020 entregues até o prazo final – no último dia 30 – chegou a 718,4 mil no Grande ABC. O número, porém, ficou abaixo do previsto pela Receita Federal (719,4 mil) para este ano, mas é 4,17% maior do que em 2019, quando as sete cidades registraram 689,9 mil (veja mais na arte abaixo).

No Brasil, as declarações enviadas à Receita também ficaram abaixo do esperado. Foram 31,9 milhões, mas a expectativa era que 32 milhões de contribuintes cumprissem o prazo., que foi prorrogado em mais dois meses para a entrega por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o coordenador do curso de administração do Instituto Mauá de Tecnologia, Ricardo Balistiero, a pandemia é fator explicativo, mas menor. “O que pode ter acontecido é um relaxamento, e a pessoa comete o erro de não fazer a declaração e acaba pagando multa, sendo que o ideal é fazer mesmo incompleta e depois enviar a retificação”, disse.

“Na pandemia, pode ser que as pessoas não reuniram todos os documentos, mas também pode ser reflexo do aumento da informalidade”, opinou o advogado e sócio do escritório Stuchi Advogados Ruslan Stuchi.

Em contrapartida, o aumento em relação ao ano passado é explicado pela defasagem na tabela de desconto do Imposto de Renda na fonte. Números divulgados no início do ano pelo Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal) mostraram que a defasagem chega a 103,87%. O número de pessoas isentas passaria de 10 milhões para 20 milhões, caso a correção fosse feita.

"É fundamental a correção, porque o que acaba acontecendo é que quantidade maior de pessoas é obrigada a pagar. Os salários têm correção, por menor que seja, mas a tabela não”, disse Balistiero. A última revisão ocorreu em 2015.

Para quem perdeu o prazo, a orientação é fazer a declaração o mais rápido possível. Segundo a Receita Federal, os sistemas já recebem as declarações dos contribuintes que perderam o prazo, com multa. O valor é 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido, sendo que o valor mínimo é R$ 165,74 e o máximo é de 20% do imposto sobre a renda devido. “Caso a declaração não seja feita, o CPF fica em uma situação irregular”, disse o advogado. 

Comentários


Veja Também


Voltar