Setecidades

Após oito anos, Diadema conclui 1ª etapa de obras no Sítio Joaninha


Oito anos após o início das obras, ainda na gestão do ex-prefeito Mario Reali (PT), a Prefeitura de Diadema entregou na manhã de hoje a primeira etapa das intervenções de urbanização no Sítio Joaninha. As melhorias incluíram asfalto, guias, sistema de abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto e beneficia cerca de 2.000 famílias. As obras foram concluídas no início do ano, mas por conta da pandemia de Covid-19, a cerimônia foi adiada.

As intervenções somam investimentos da ordem de R$ 9,394 milhões, com contrapartida municipal de R$ 3,794 e o restante do governo federal. Somadas as obras de contenção e demolição, a área recebeu mais de R$ 11 milhões em investimentos.


Além de realizar a entrega simbólica, o prefeito Lauro Michels (PV) também anunciou o início da segunda fase, com a canalização de 250 metros do Córrego Olaria (identificado na placa da obra como Córrego Nicola Imparato). A canalização seguirá até a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) que foi construída pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) para atender à comunidade.

O prazo de conclusão da canalização está previsto para oito meses e o investimento será de R$1,8 milhão, sendo R$ 599 mil oriundos do tesouro municipal e o restante são recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Billings. A prefeitura também anunciou que a partir de hoje a linha de ônibus que atende ao bairro vai ampliar o seu itinerário e chegar até às ruas mais altas, atendendo a abaixo-assinado feito pelos moradores. O Diário mostrou em dezembro do ano passado a reivindicação.


Morador do Sítio Joaninha há 25 anos, o vendedor aposentado Caetano do Carmo Ferrera, 61 anos, relembrou o tempo que as ruas eram de lama e não havia iluminação nem água encanada. "Tudo o que a gente conseguiu aqui, cada etapa, foi com muita luta. Valeu a pena esperar e ver tudo isso, porque teve gente que lutou, morreu e não viu", relatou. A sindicalista Maria Edneuma dos Santos, 52, uma das lideranças comunitárias, também celebrou a conclusão da primeira fase e lembrou que agora a comunidade sonha com equipamentos públicos, como creche, escola e área de lazer. "Para a gente tudo isso é uma grande vitória. Não temos nem palavras para agradecer", pontuou.


O prefeito Lauro Michels informou que esses equipamentos não estão previstos no projeto. Na segunda fase também terá início a regularização fundiária dos imóveis e a compensação ambiental nas áreas livres que ficaram após o término das obras de infraestrutura.


Lauro lembrou que em 2012, quando a obra foi iniciada, não havia autorização por parte da Caixa Econômica Federal, o banco financiador de obras públicas, e que as intervenções foram retomadas em 2015. "Esse é mais um legado positivo do nosso governo. Vamos concluir a canalização, temos outro contrato para canalização também do Córrego Grota Funda e estamos esperando a autorização de início", afirmou. A parte baixa do Sítio Joaninha ainda não tem previsão para receber as obras de infraestrutura.

Ex-secretária de Habitação, desligada do cargo para concorrer na próxima eleição, Regina Gonçalves (PV) lembrou que foram muitos os desafios enfrentados na conclusão das obras e que o bairro agora está efetivamente incorporado à malha urbana da cidade. "Não deveria mais ser Sítio Joaninha e sim Vila Nova Joaninha", concluiu. 

Comentários


Veja Também


Voltar