Setecidades

Roubos de veículos apresentam queda de 51% na região


A atualização dos dados da SSP (Secretaria da Segurança Pública) mostram que o Grande ABC registrou queda de 51,7% em roubos de veículos no mês de maio, se comparado ao mesmo período de 2019. Foram 261 ocorrências, contra 541 no ano passado. Na Capital e no Estado, a tendência também foi de diminuição deste tipo de ocorrência, com queda de 55,7% e 51,2%, respectivamente.

O cenário é reflexo da diminuição do número de carros nas ruas, por causa da quarentena imposta pelo novo coronavírus e, segundo o coronel Renato Nery Machado, comandante da PM (Polícia Militar) na região, outra razão foram as operações policiais durante o período. “Não tivemos nenhuma redução operacional ou qualquer diminuição nas atividades também, além disso, houve redução na quantidade de chamados pelo 190, o que permitiu mais operações preventivas, principalmente em pontos de desmanche de carros”, declara Nery.

Exemplo disso, no domingo, policiais do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) prenderam três homens em um desmanche clandestino no Jardim Santo Alberto, em Santo André. Segundo a ocorrência, os agentes que faziam patrulhamento perceberam movimentação em um terreno aparentemente abandonado. A equipe descobriu um galpão nos fundos do local com três veículos – já com queixas de roubo e furto –, 15 motores, 20 caixas de câmbio e mais de 500 peças automotivas. Os suspeitos confessaram os crimes.

Já o cenário de furto de veículo – quando o carro é levado sem contato com o ladrão – também registrou diminuição de casos em maio. Foram 832 ocorrências nas sete cidades em 2019, contra 415 este ano, redução de 50,1%. A Capital e o Estado também apresentaram diminuição no mesmo período, registrando queda de 47,6% (3.450 de 2019 contra 1.808 esse ano) e 43,8% (8.052 o ano passado em relação a 4.525 em 2020), respectivamente (confira tabela completa acima).
Já em relação aos homicídios, houve queda de 37,5% na região, que registrou dez casos neste ano, contra 16 no mesmo período de 2019. O mesmo não aconteceu na Capital e no Estado, que apresentaram aumento no período, com 6% e 5,8%, respectivamente.

O comandante Nery avalia que no segundo semestre, mesmo com a flexibilização da quarentena, operações preventivas devem continuar. “A partir deste retorno, a quantidade de casos também volta ao normal e acredito que estes números de ocorrências podem aumentar. Então vamos manter a manutenção destas operações, pois foi estratégia que funcionou vem”, declara o comandante. 

Comentários


Veja Também


Voltar